• Hoje é: terça-feira, agosto 21, 2018

Vigilância Sanitária define regras em conjunto com SIM, Inspetoria Veterinária e APIVA para comercialização de peixes na Semana Santa

Olá Jornal
fevereiro02/ 2018

Na tarde desta quinta-feira, 1, o Coordenador da Vigilância Sanitária Everton Notti, o Presidente da Associação dos Piscicultores de Venâncio Aires (APIVA) Itor Coutinho, representantes da Inspetoria Veterinária João Pinheiro e Fernanda Sant’Anna representante do S.I.M. reuniram-se para definir as regras que serão adotadas em relação ao comércio de pescado, especialmente durante a Semana Santa, que serão apresentadas em reunião que acontece na noite desta sexta-feira, 02, na Sede da APIVA.

No encontro desta quinta, a Vigilância Sanitária trouxe informações e orientações para regrar a comercialização de peixe no município, de acordo com a Legislação Vigente. Segundo Notti, haverá orientação e fiscalização para produtores de peixes, sendo ou não da APIVA, também em restaurantes e peixarias. “Vamos exigir para todos as condições de higiene, sanidade, procedência, e rastreabilidade”, destaca o coordenador da Vigilância do Município.

Notti enfatizou que o produtor deverá previamente atualizar seu cadastro junto a Inspetoria Veterinária, bem como dos açudes e emitir a Guia de Transporte Animal (GTA), referente ao transporte dos animais até as feiras. “Hoje na APIVA, não há abate e processamento, então como para qualquer produtor fora da Associação, só poderá ser comercializado peixe fresco, ou seja, conservado no gelo, sem qualquer manipulação: sem retirada de escamas, vísceras, nadadeiras ou cabeça, bem como não é permitido a estes fazer filés, pois este tipo de manipulação não pode ocorrer em ambientes de feira”, alerta Everton Notti.

Outras medidas foram decididas, como:

*Peixes da APIVA na situação atual, só poderão ser comercializados frescos, na proporção de 2X1 (2 Kg gelo X 1 Kg peixe). Peixe fresco não passa por manipulação alguma, não podendo ser realizadas etapas como: escamar, retirar nadadeira, cabeça, eviscerar ou filetar.

*O gelo deverá ter procedência e ser escamado. Gelo de garrafa pet não tem procedência, não temos como controlar a potabilidade da água.

*Na possibilidade da reabertura da APIVA, os peixes abatidos e beneficiados deverão ser armazenados na APIVA ou local licenciado. Residências de produtores não são entrepostos ou comércio atacadista para poder estocar peixes.

*Abate sem aviso prévio é abate clandestino, mesmo em estabelecimentos licenciados.

*Transporte de animais abatidos deve ocorrer em veículo apropriado, refrigerado e legalizado.

*Quanto aos manipuladores/vendedores: Uso te touca ou boné, jaleco, calçados fechados. É proibido fumar, tossir ou espirrar próximo aos alimentos. Evitar manuseio de dinheiro, devendo haver pessoa designada para tal atividade.

CRÉDITO: Coordenadoria de Comunicação e Marketing PMVA