• Hoje é: sexta-feira, dezembro 13, 2019

Vereadora Helena ganha apoio de estudantes para o projeto Farmácia Solidária

Olá Jornal
novembro20/ 2019

O trabalho de escola refletindo na realidade da comunidade, ou a realidade da comunidade motivando um trabalho de escola? O resultado do trabalho da Eduarda Kaufmann, Maciel Chaves e Emanuela Lopes da Silva pode receber qualquer uma destas respostas. Os alunos do 9º ano da escola municipal José Duarte de Macedo, estiveram na Câmara de Vereadores, nesta semana, com a vereadora e professora Helena da Rosa (MDB). Acompanhados pela professora de Matemática, Tayná Luiza Henn, o grupo quis se unir a demanda já apresentada pela parlamentar ao Executivo, e somar forçar para legalizar e divulgar melhor para a população a forma correta de fazer o descarte de medicamentos que não se utiliza mais ou que estejam vencidos. Intitulado “Análise de descarte de medicamentos vencidos ou em desuso no município de Venâncio Aires”, o trabalho esteve na Mostra Municipal de Trabalhos Escolares e também na Mostratec, Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia.

Conforme a professora Tayná, ao saberem que a vereadora Helena, havia encaminhado uma solicitação semelhante ao assunto, o grupo quis se unir a proposta, tendo em vista a constatação, através de suas entrevistas e levantamentos junto à comunidade, da necessidade urgente de promover um recolhimento correto dos produtos. Conforme o trabalho de pesquisa, 83% das pessoas entrevistadas não sabem como fazer o descarte dos medicamentos.

INDICAÇÃO

Ainda em 2018, a vereadora Helena apresentou na Câmara de Vereadores, uma Indicação ao Poder Executivo para a criação da “Farmácia Solidária”, com o objetivo de oficializar a arrecadação de medicamentos que não estão sendo usados por pacientes e que possam ser repassados a pacientes de vulnerabilidade social e que não possuam renda o suficiente para fazer a compra de tais medicamentos. Assim também, conforme a proposta, se garantiria o descarte correto dos medicamentos sem condições de uso, pelo prazo de validade vencidos. “A criação do Farmácia Solidária, além de legalizar e viabilizar de forma mais correta essas doações, favorecendo o acesso de outras pessoas a medicamentos que sobram em muitas casas, também evitaria o descarte incorreto das sobras de remédios que pode gerar a contaminação e a própria intoxicação caso ingeridos de forma incorreta”, justifica Helena, destacando que seria necessário uma regulamentação especial, como a exigência ade receitas médicas para retirar a doação.

Logo depois do encontro com os estudantes e a professora, a vereadora conseguiu agendar uma audiência com o prefeito Giovane Wickert, para o dia 2 de dezembro, onde as propostas e constatações serão apresentadas novamente.

CRÉDITO: AI Helena da Rosa/MDB