Venâncio Aires tem o menor número de beneficiários no Bolsa Família em 10 anos

Olá Jornal
outubro12/ 2019

Nos últimos quatro anos, Venâncio Aires e outros municípios do país vivem a redução no número geral de famílias que recebem o Bolsa Família. No mês de outubro a Capital do Chimarrão registrou o menor número de beneficiários do programa federal dos últimos 10 anos. Segundo dados da secretaria municipal de Habitação e Assistência Social, o mês fechou com 1.576 famílias que recebem valores por meio do programa assistencialista. O mês só perde para o período inicial do programa, entre os anos de 2004 (janeiro) e março de 2005, quando o número de beneficiários era de 1.519 cadastros recebendo valores por meio do Governo Federal.

A queda significativa ao longo dos últimos anos se deve, segundo a coordenação do Bolsa Família em Venâncio Aires, a atualização das informações familiares. “Essa atualização ocorre anualmente, porém, a expectativa é de que seja realizada de forma mais rotineira. A partir disso, sem informar dados atualizados, alguns beneficiários estão sendo retirados do programa federal,” explica a coordenadora da secretaria, Lidiane Pereira Fausto.

O pico de benefícios desde 2004 foi verificado em julho de 2014, quando 2.979 famílias recebiam o benefício em Venâncio. A partir deste período, o número total de beneficiários entrou em declínio. A estimativa é de redução ainda maior ao longo dos próximos anos. “A atualização dos cadastrados ocorrerá de forma mais rotineira. O cancelamento dos cartões ocorre principalmente por incompatibilidade de renda ou desatualização dos cadastros. Esse trabalho tem sido mais criterioso, resultando em diminuição nos benefícios ativos no município,” argumenta Lidiane.

 

RECURSOS
No mês de setembro foram transferidos R$ 224.287,00 às famílias do Programa e o benefício médio repassado foi de R$ 141,60 por família. Conforme estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), fundação pública federal vinculada ao Ministério do Planejamento, a cada R$ 1,00 transferido às famílias do programa, o Produto Interno Bruto (PIB) municipal tem um acréscimo de R$ 1,78.

ESTADO
A diminuição das famílias contempladas com o programa é verificada também em outras regiões do estado. Levantamento de GaúchaZH nos dados do Ministério da Cidadania mostra que a quantidade de pessoas que acessam o benefício só não é inferior ao ano seguinte à sua implementação. Quando analisadas as folhas de pagamento de agosto, em 2019, 349,2 mil lares do Estado receberam o pagamento, superando somente os 337,7 mil de 2005. Todos os meses, há famílias que entram e outras que saem do programa. Desde que atingiu o seu ápice, em 2012, o Bolsa Família encolheu 23% entre os gaúchos.