• Hoje é: sábado, abril 20, 2019

Venâncio Aires dialoga com a região sobre duplicação da RSC-287

Olá Jornal
abril15/ 2019

Os Municípios do Vale do Rio Pardo estiveram reunidos nesta manhã, 15, na Unisc para debater a duplicação da RSC 287 que corta a região. Com um movimento de mais de 24 mil veículos por dia, a estrada está nos planos do Governo Gaúcho de duplicação e colocação de mais praças de pedágio. O tema que vem sendo amplamente debatido e divulgado entre diversos setores e lideranças, foi hoje também assunto na reunião do Conselho Regional de Desenvolvimento do Vale do Rio Pardo (COREDE).

O Prefeito de Venâncio Aires, Giovane Wickert, participou do encontro acompanhado dos Secretários do Desenvolvimento Econômico, Nilson Lehmen e de Planejamento e Urbanismo Jalila Heinemann.  Em sua manifestação, o gestor falou das preocupações em relação as instalações de novas praças de pedágio e o impacto econômico que isso irá gerar. “Não acho justo, atualmente, os valores cobrados nas praças da nossa região. Saíamos de Venâncio para Santa Cruz, por exemplo, e gastamos R$14. Se for colocado mais praças, de Venâncio para Porto Alegre serão duas, isso será um valor alto que em 11 anos de obra para duplicar a via não sabemos que proporção poderá ter”, disse.

Wickert defendeu a necessidade da duplicação, pontuou as dificuldades da pista simples e dos perigos que ela gera. “É uma obra primordial para a nossa região, para a nossa comunidade e para o desenvolvimento, não tenhamos dúvida disso. Com a duplicação será possível ter mais segurança no trânsito, já que números comprovam que pistas simples são muito mais perigosas e com muitos acidentes graves, teremos ainda mais agilidade no escoamento das produções e no desenvolvimento até mesmo de turismo das nossas cidades”.

RSC-287
A mobilização para duplicação da RSC-287 une diversas entidades empresariais do Vale do Rio Pardo, Jacuí Centro e Centro, junto com outras lideranças regionais. A principal rodovia do Vale do Rio Pardo será concedida à iniciativa privada e a concessionária terá de executar as obras de duplicação, orçadas em R$ 1,5 bilhão. Porém o tempo estimado de reformulação da via poderá chegar até 11 anos.

Ela é uma rodovia estadual que corta o estado no sentido leste-oeste. Tem início no município de Montenegro e mantém esse nome até Santa Maria. A partir de Santa Maria o nome da rodovia muda para BR-287 e seu trajeto vai até São Borja.

Em seu traçado integral estão os municípios de Triunfo, Arroio Gil, Tabaí, Taquari, Bom Retiro do Sul, Venâncio Aires, Vila Mariante, Passo do Sobrado, Santa Cruz do Sul, Vera Cruz, Arroio Plumbs, Faxinal de Dentro, Vale do Sol, Candelária, Novo Cabrais, Paraíso do Sul, Agudo, Restinga Sêca, Santa Maria, São Pedro do Sul, São Vicente do Sul, Jaguari, Santiago e Unistalda. A extensão total da RSC-287 é de 241 quilômetros.

Concessão
O Governo Gaúcho escolheu o modelo de menor tarifa de pedágio para a concessão da RSC 287, conhecido como “concessão comum”. Ou seja, a empresa terá que “explorar, conservar, manter, melhorar e ampliar a infraestrutura de transportes” pelo menor preço de pedágio. O investimento em 30 anos é estimado em R$ 2,2 bilhões. O trecho a ser concedido da RSC-287 tem 204,5 quilômetros e vai desde o entroncamento com a BR-386, em Tabaí, até Santa Maria.

Conforme publicado no Diário Oficial do Estado, a principal meta é “a duplicação total do trecho concedido até o 12º ano da concessão”. O governo informou que os trechos urbanos da rodovia deverão ser duplicados nos cinco primeiros anos. Isso inclui o trecho Santa Cruz-Venâncio Aires, o mais movimentado da RSC-287.

CRÉDITO: Coordenadoria de Comunicação e Marketing PMVA
FOTO: Leandro Osório