• Hoje é: terça-feira, outubro 23, 2018

Vacinação em farmácias dá suporte ao sistema público

Olá Jornal
setembro13/ 2018

Com sistema público carente de recursos e sobrecarregado, a vacinação em farmácias veio pra ficar. O novo serviço liberado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aponta um novo caminho para estes estabelecimentos que passam a ocupar papel ainda mais importante junto a sociedade em busca de proteção por mais saúde.

De acordo com a presidente do Conselho Regional de Farmácia do Rio Grande do Sul (CRF-RS), Silvana Furquim, a decisão coloca as farmácias como um suporte ao Sistema Único de Saúde (SUS), reforçando sua importância no rol dos estabelecimentos de saúde na atividade de imunização, além de estimular a qualificação dos farmacêuticos. ‘A farmácia é um estabelecimento de prestação de serviços em saúde que está mais próximo da população, por sua capilaridade e acessibilidade. Espaço democrático que atende as demandas de diferentes públicos,’ afirma.

FUTURO
A aprovação por parte da Anvisa e a popularização do serviço indicam que, no futuro, a vacinação poderá ser descentralizada dos postos para as farmácias, diminuindo despesas do setor público, otimizando o trabalho do servidor e dando mais comodidade ao usuário. Para Silvana, esta é a tendência. ‘As farmácias privadas atuam dentro do SUS como suporte a este e outros importantes serviços de saúde, orientando pacientes no uso racional de medicamentos.’

VENÂNCIO
Venâncio Aires é um dos municípios gaúchos que já conta com esse novo serviço e está no seleto grupo de profissionais que podem realizá-lo. Somente 36 farmacêuticos no RS estão aptos a aplicar as vacinas sendo dois deles de Venâncio Aires. Gabriela Fragomeni e Daiane Feix Barden atuam na Vacine Aqui, primeira Clínica de Vacinação em Farmácias de Venâncio Aires. As farmácias que atuam com vacinação necessitam licenciamento sanitário específico.

O Conselho não regula a liberação deste serviço nas farmácias, que é de responsabilidade da vigilância sanitária, que avalia e autoriza, via emissão de Alvará Sanitário. A entidade averba a formação, os cursos que os farmacêuticos realizam para desenvolverem algumas atividades, como, por exemplo, o serviço de vacinação.