• Hoje é: quarta-feira, julho 18, 2018

Um passeio pelo caminho da erva-mate

Guilherme Siebeneichler
julho15/ 2017

Um grupo de cerca de 50 pessoas, formado por empresários do ramo turístico, poder público e comunidade, participaram neste sábado, 15, do segundo passeio do projeto ‘Redescubra Venâncio’, e percorreram os caminhos da Rota do Chimarrão. Parando em pontos estratégicos, os participantes puderam conhecer e apreciar as potencialidades de localidades como Linha Travessa e Palanque.

Além de informações e histórias, contadas pela guia Sônia Lang, sobre cada local visitado, o grupo se deliciou com degustações e fotografou cada detalhe. Depois de partir por volta das 8h, da Travessa da Igreja São Sebastião Mártir, a primeira parada foi no Acesso Grão Pará, onde Sônia falou do Arroio Castelhano, cuja sua primeira ponte foi construída em 1878.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um dos pontos mais visitados no município e que não poderia ficar de fora do passeio é a Escola do Chimarrão, onde os visitantes foram recebidos por Rejane Rüdiger Pastore, que falou sobre a história da erva-mate, propriedades da planta, como preparar um bom Chimarrão e ainda certificou o vice-prefeito, Celso Krämer; o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Nelsoir Battisti; e a assessora de imprensa da Câmara de Vereadores, Vanessa Behling; que prepararam pela primeira vez um Mate Amargo, um tererê e um chimarrão de 11 segundos, respectivamente. Ainda, no local, os participantes degustaram bolo, alfajores e chá, tudo preparado com erva-mate.
A parada seguinte foi em um erval, onde muitos puderam ver pela primeira vez uma árvore de erva-mate e saber sobre manejo e produção da mesma.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pelo caminho, a Casa Comercial de Ernest Scherer, em Vila Palanque, construída em 1925, também foi visitada pelo grupo. A história de uma das importantes famílias de Venâncio foi contada pela guia. Entre os pontos destacados, foi a construção da escola pública, ao lado da residência, destinada para crianças que não eram de origem alemã e não eram católicas, na qual Odila Rosa Scherer deu aula.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ainda em Palanque, foi visitada a agroindústria familiar Coutinho, onde a proprietária, Marilene falou do trabalho que é feito no local, da burocracia que enfrentam para poder vender seus produtos, e ofereceu os visitantes uma degustação. Já na reta final do passeio, foi visitada a floricultura de Inácio Scherer. Na propriedade da família, além do viveiro onde são cultivadas mudas de diversas espécies de flores, também há o espaço Artesanato Mil Ideias, e ainda o Relógio do Corpo Humano. Feito no chão, o relógio indica quais são os horários em que cada órgão tem melhor funcionamento, e seus respectivos chás benéficos, ideias para serem consumidos naqueles horários.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E, por fim, os participantes conheceram a casa canônica e a igreja da Paróquia de Vila Palanque. A residência, construída em 1930 pela família de João e Cristina Jantsch, e doada à Paróquia em 1964, é muito fiel ao modelo alemão, cuja cozinha era separada do restante da casa e próximo ao celeiro, com porão para armazenar a produção, além de detalhes como o telhado, sacada, acabamentos.

Na igreja, a beleza e os detalhes do altar, esculpido em madeira em 1905, foram alvos de elogios e muitos flashes. A gravura de um pelicano, no móvel, pouco visto em igrejas, chamou a atenção. De acordo com a guia turística, ele representa o ato de Jesus Cristo, que se doou para salvar as pessoas, enquanto o pelicano arranca sua pele para alimentar seus filhotes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A segunda edição do ‘Redescubra Venâncio’ culminou com um almoço na sede da comunidade. Depois de serem recepcionados com uma polonese, tocada pelo professor Elemar Marques, o grupo se deliciou com o prato típico da localidade: galinha com massa.

PRÓXIMA EDIÇÃO

O próximo passeio do ‘Redescubra Venâncio’ deve ocorrer em agosto, ainda sem data definida e percorrerá pontos da região de Vila Arlindo e Cerro do Baú. A iniciativa é da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e conta com o apoio da Venatur e Emater.

FOTOS: Vanessa Behling/ AI Câmara de Vereadores