• Hoje é: sexta-feira, outubro 19, 2018

Trabalho do colono garante recuperação sustentável do Meio Ambiente

Guilherme Siebeneichler
julho22/ 2017

As práticas sustentáveis de proteção ao meio ambiente são caminhos para garantir o desenvolvimento adequado da produção agrícola. Venâncio Aires tem feito a sua lição de casa, com a ajuda dos produtores rurais. É nas pequenas propriedades que as práticas têm crescido levando em consideração a sustentabilidade do campo. O trabalho ganha destaque, não só pelos aspectos legados a ecologia e proteção ambiental, mas também a força do campo na geração de renda.

Um estudo da Emater/Ascar de Venâncio avalia o crescimento das áreas de mata nativa. Atualmente 27% do território municipal – que possui, 773,2 quilômetros quadrados – tem florestas nativas ou regeneradas. A entidade atribui esse resultado, considerado excelente, à consciência dos colonos, incentivos governamentais e programas desenvolvidos por empresas fumageiras.

Segundo o chefe do escritório da Emater-RS/Ascar de Venâncio, Vicente Fin, a maioria das 5.560 propriedades rurais do município já desenvolvem ações voltadas a sustentabilidade das propriedades. “O nosso agricultor já compreendeu que precisa proteger e garantir a sustentabilidade das propriedades. Isso passa por todos os pontos, desde o meio ambiente, mercado para a produção, além das questões sociais, com estímulo para a permanência do jovem no campo.”

INCENTIVO
Para Fin, a conquista das melhorias no meio rural ocorreram a partir de 1995. O avanço também nas questões da sustentabilidade melhoram com a criação do Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). “A produção de alimentos avançou e melhorou a estrutura dos agricultores. Com isso, as áreas cultivadas diminuíram, proporcionando aumento das matas nativas, por exemplo.”

AVANÇO
A expectativa da Emater é de crescimento das áreas de mata nativa em Venâncio Aires nos próximos anos. As áreas da região mais alta do município deverão aumentar e garantir maior proteção de espécies. O trabalho do agricultor para essa proteção tem gerado frutos positivos para a proteção ambiental. “Os produtores estão voltando a ver espécies de animais que tinham desaparecido da nossa região. Gatos e cachorros do mato, tucanos e aves que estavam pestes a entrar na lista de extinção.”

ÁGUA
Se o solo, as matas, a cadeia produtiva estão recebendo ações sustentáveis. A proteção e melhoramento das águas é o próximo desafio. Neste ponto, Fin revela que a própria Emater tem trabalhado com os produtores ações de proteção dos córregos, arroios e nascentes. “Esse é um ponto que vamos precisar inclusive de mais suporte do poder público. As ações de extensão rural objetivam proteger e criar medidas de sustentabilidade para os colonos. Mas é fundamental que os agricultores colaborem para que isso saia do papel,” revela.

Os avanços na área rural são fantásticos e servem de exemplo para a área urbana. A cada ano a produção de alimentos no município cresce e a qualidade dos produtos também. Segundo relatório da entidade, a produção orgânica deve registrar crescimento nos próximos anos e, neste quesito, as práticas de sustentabilidade são fundamentais para garantir a competitividade.