• Hoje é: segunda-feira, janeiro 22, 2018

Trabalhadores nas indústrias do tabaco esperam melhor proposta salarial

Janine Niedermeyer
novembro19/ 2016

Os Sindicatos dos Trabalhadores nas Indústrias do Fumo estão na expectativa de nova proposta para o piso da categoria. A primeira reunião com o Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (Sinditabaco), nesta quinta–feira, 17, terminou sem acordo entre as partes.

A proposta inicial das empresas foi de 7%, índice abaixo da inflação, sendo que os trabalhadores reivindicam a reposição do INPC, que ficaria em torno de 7,5%, mais ganho real de 3%. Além disso, solicitam cesta básica de R$ 150. Neste item o apresentado inicialmente foi R$ 120, sendo que atualmente a cesta básica está em R$ 115.

NEGOCIAÇÃO

Ao final do encontro, as empresas propuseram repassar o INPC e aumentar a cesta básica para R$ 125. A proposta ainda foi considerada insuficiente pelos sindicatos dos trabalhadores, e sendo assim, uma nova reunião ocorrerá nos próximos dias.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Fumo, Alimentação e Afins de Venâncio Aires, Rogério Siqueira, lembra que o papel da entidade é melhorar a condição para o
trabalhador.

“A expectativa é de sensibilização com a necessidade de que os trabalhadores tenham um retorno fi nanceiro para esses anos difíceis”. Para ele, é possível chegar em uma proposta melhor visto que as empresas tiveram crescimento neste último ano, com a exportação dos estoques de tabaco.

“Entendemos que o percentual de ganho real é extremamente necessário, porque os números alcançados pelas empresas nos remetem a este pensamento”. Atualmente, o piso da categoria está em R$ 994,40, menor que o piso regional que é de R$ 1.103,66. Os trabalhadores ainda têm direito a cesta básica e ao Plano de Participação no Resultados (PPR).