• Hoje é: sexta-feira, abril 20, 2018

Souza Cruz inicia processamento da Safra 2017/18 em Santa Cruz do Sul

Olá Jornal
fevereiro16/ 2018

O processamento da Safra 2017/2018 na unidade da Souza Cruz, em Santa Cruz do Sul, iniciou esta semana. Depois de ter começado a compra ainda em dezembro de 2017 e assinado – de forma pioneira – o protocolo de preço junto à representação dos produtores no mês de janeiro –, a empresa deu início ao beneficiamento da produção na última segunda-feira, 12. A expectativa é que o processo siga até a primeira quinzena de setembro, com a contratação de aproximadamente 1,7 mil colaboradores temporários. “A geração de empregos é semelhante à safra passada, mas o diferencial deste ano é com relação ao tempo de contrato, que será maior”, destaca o gerente de Operações Industriais, Robson Lima.

O tabaco beneficiado na Usina de Santa Cruz do Sul – considerada uma das maiores do mundo, com capacidade instalada de processamento de 120 mil toneladas por ano – é fruto do trabalho dos produtores integrados à empresa no Rio Grande do Sul. No Paraná, o processamento acontece na Unidade de Rio Negro (que iniciou a operação em 15 de janeiro e deve seguir até o início de julho), e em Santa Catarina, na usina de Blumenau (em operação desde 5 de fevereiro com previsão de término em julho).

100 anos – A Souza Cruz está presente em 584 municípios da Região Sul do Brasil, com o envolvimento de 27 mil produtores integrados e uma equipe de assistência técnica formada por 222 orientadores agrícolas e difusores de tecnologia. Em 2018, empresa comemora os 100 anos de pioneirismo do Sistema Integrado de Produção de Tabaco (SIPT), criado em 1918, que atualmente é referência no setor. “É uma grande alegria participar deste momento histórico. É motivo de orgulho saber que o SIPT contribuiu de forma decisiva para o desenvolvimento da cultura do tabaco, principalmente com relação à gestão da propriedade, com foco na sustentabilidade do negócio, considerando aspectos econômicos, sociais e ambientais”, destaca o gerente Nacional de Produção Agrícola, Hélio Moura.

CRÉDITO: Four Comunicação