• Hoje é: quinta-feira, novembro 14, 2019

Souza Cruz certifica 100% da produção dos tabacos Dark e Maryland

Janine Niedermeyer
abril20/ 2017

Pelo segundo ano consecutivo, a Souza Cruz conquistou a certificação da Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) no Tabaco, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Depois de certificar, de forma pioneira, em 2016, 357 toneladas dos tabacos Virgínia e Burley, produzidos por 50 produtores integrados à empresa na Região Sul do Brasil, este ano a empresa comemora a ampliação da certificação: mais 260 produtores aderiram ao programa, certificando 100% da produção dos tipos de tabacos Dark e Maryland.

“Esta certificação garante uma produção de tabaco segura e sustentável, com responsabilidade social e ambiental e com garantia de rastreabilidade do produto”, frisa o gerente Nacional de Produção Agrícola, Helio Moura.

A certificação da Safra 2016/2017 engloba uma produção de 1,4 mil toneladas, fruto da adesão voluntária de 310 produtores integrados de 31 municípios dos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Toda a produção é comercializada na Unidade de Blumenau, garantindo o acompanhamento, desde a produção até o processamento, com a devida segregação e rastreabilidade dessa produção específica.

Conforme Moura, o Certificado de Conformidade garante o atendimento dos requisitos do Sistema de Produção Integrada – PI Tabaco. “Isso significa que a produção de tabaco dos produtores que aderiram ao Programa foi auditada no campo e na Unidade de Blumenau e estão em conformidade com as Normas Técnicas Específicas (NTEs) exigidas, podendo, portanto, receberem o selo de garantia”, assegura.

A certificação é uma garantia que a produção de tabaco está amparada em normativas técnicas específicas, que atende as exigências atuais dos mercados e que demonstra uma evolução de procedimentos e controles com respeito ao meio ambiente e a segurança dos trabalhadores. Além disso, fica comprovada a origem e os métodos empregados na geração do produto, por meio de registros formais e auditáveis, que atendem princípios de sustentabilidade contemplando as esferas social, ambiental e econômica. “A certificação é um procedimento normatizado para produzir de forma segura, com menor impacto ambiental, maior responsabilidade social e rastreabilidade garantida”, completa Moura.

Municípios com produtores certificados:

Santa Catarina: Bandeirante, Braço do Norte, Canoinhas, Imbuia, Iraceminha, Orleans, Paraíso, Romelândia, São Miguel D’Oeste, Treze de Maio e Urussanga

Rio Grande do Sul: Canguçu, Gramado Xavier, Jari, Passo do Sobrado, Rio Pardo, Santa Cruz do Sul, Toropi e Vera Cruz.

Paraná: Ipiranga, Irati, Ivaí, Laranjeiras do Sul, Matelândia, Medianeira, Piên, Salto do Lontra, São Jorge D’Oeste, São Miguel do Iguaçu, Serranópolis do Iguaçu e Virmond.

Saiba mais:

A Produção Integrada Agropecuária – PI Brasil é um programa oficial do Governo Brasileiro, desenvolvido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

O setor do tabaco aderiu ao programa por intermédio do Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) e criou a Produção Integrada do Tabaco – PI Tabaco. Além do MAPA e do Inmetro, o programa conta com a coordenação do Comitê Técnico da Produção Integrada de Tabaco, da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel), e de uma Certificadora que audita pelo Inmetro todas as etapas pelo qual o tabaco passa.

Foto em anexo: Unidade de Blumenau recebe tabaco certificado

Crédito foto: Marcelo Martins