• Hoje é: sexta-feira, setembro 21, 2018

Servidores municipais buscam 7% de reajuste salarial

Guilherme Siebeneichler
fevereiro25/ 2017

As negociações para reajustar o salário de 1,2 mil funcionários públicos municipais iniciaram. Nesta semana o sindicato da categoria realizou assembleia e definiu que irá trabalhar para garantir 7% de reajuste, além de aumento para R$ 160 do vale alimentação.

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Venâncio Aires enviou de forma oficial a proposta de reajuste dos salários na sexta-feira, 24. A data-base da categoria é no dia 1º de março. A expectativa do dirigente sindical, Odenir Guterres de Carvalho, é de sensibilizar os governantes para garantir a reposição salarial adequada. “Não estamos trabalhando com um reajuste significativo. Esperamos manter o diálogo positivo com o governo,” destaca.
Atualmente os servidores recebem até R$ 124 de auxílio alimentação (calculado pelas horas de trabalho). A entidade busca aumentar em R$ 36 o benefício e diminuir o percentual de participação dos servidores, dos atuais 20%, para 10%.

O prefeito Giovane Wickert tem mantido contato com a direção sindical e espera garantir o diálogo com a categoria. “Queremos construir uma proposta com todo o sindicato. Porém, dos municípios da região, Venâncio é o que possui a situação financeira mais delicada.” A projeção de déficit para o orçamento deste ano, apontada pela Secretaria Municipal da Fazenda em R$ 40,9 milhões, exigirá cautela no trabalho de negociação da revisão salarial.

REAJUSTE PARCELADO
Na audiência pública sobre as metas fiscais do terceiro quadrimestre de 2016, a secretária da Fazenda, Jeanine Benkenstein, destacou que o reajuste dos servidores poderá ser dividido ao longo do ano, para evitar aumento de despesas em uma só vez. Carvalho criticou o posicionamento da secretária. “Ela deveria se preocupar mais em trabalhar e aumentar a arrecadação do município e falar menos.”

No mesmo encontro na Câmara de Vereadores, Jeanine não descartou o parcelamento de salários dos servidores este ano. Entretanto, Wickert afirma que o funcionalismo tem prioridade nos pagamentos do Executivo Municipal. “Ao longo dos 12 meses precisamos ter cautela, a fala da secretário busca justamente isso, precisamos equilibrar as contas para evitar qualquer tipo de parcelamento,” destaca.