• Hoje é: quarta-feira, março 20, 2019

Secretaria espera cobrar R$ 3 milhões de proprietários de imóveis populares

Guilherme Siebeneichler
julho19/ 2017

A informação foi divulgada pelo secretário municipal de Habitação e Desenvolvimento Social, José Arnildo Camara (PTB), na sessão da Câmara de Vereadores desta semana. O gestor destacou as ações realizadas pela pasta ao longo dos 180 dias de governo, além de projeto que pretende regularizar a situação de imóveis populares com pendências de pagamentos, junto ao governo local.

A proposta em debate é de elaboração de legislação que permitirá garantir a posse da propriedade a partir da negociação das dívidas habitacionais. A expectativa do secretário é de garantir até R$ 3 milhões em recuperação de crédito. “É um trabalho muito importante, que envolve famílias que receberam casas, e que em alguns casos acabaram vendendo o imóvel, mas não quitaram os valores com a Prefeitura,” destacou Camara.

O projeto de lei deve ser encaminhado ainda este ano ao Legislativo Municipal. O valor arrecadado com essa negociação será utilizado para melhoria nos bairros e a construção de novas habitações populares, com recursos próprios do Município. A medida foi elogiada pelos vereadores de oposição, que lembraram que os recursos precisam ser alocados no Fundo de Desenvolvimento Social, não sendo permitido utilização no caixa único da Prefeitura.

ECONOMIA
O secretário revelou ainda que ao longo dos seis meses de 2017 garantiu economia de R$ 750 mil no orçamento da pasta. “Estamos cuidando dos recursos públicos municipais, garantido a boa gestão municipal, com economia,” argumentou.

CAFEZINHO
Em praticamente todas as reuniões da Câmara de Vereadores o assunto sobre a máquina de café gourmet adquirida com recursos do CRAS do bairro Battisti volta ao debate. Na sessão desta segunda-feira não foi diferente. O secretário confirmou que o equipamento não será devolvido a unidade de assistência social do bairro. Ela ficará no Gabinete do Prefeito, porém, o valor de aproximadamente R$ 6 mil será devolvido a secretária da Habitação, e a compra dos insumos será feita com recursos próprios do prefeito.

ALBERGUE TEMPORÁRIO
Camara também confirmou que nos próximos dias será aberto o abrigo temporário para os moradores em situação de rua. O espaço será ofertado em imóvel alugado pelo Município na rua Júlio de Castilhos, e será operacionalizado pela equipe da secretaria, com suporte de voluntários e empresários que farão doações para a manutenção.