Safra de tabaco deve alcançar 20,3 mil toneladas em Venâncio Aires

Guilherme Siebeneichler
fevereiro20/ 2019

A força econômica da nossa região passa pela produção agrícola. É neste período de safra que aumenta a circulação de recursos em todos os setores. Nas indústrias com maior contratação de trabalhadores, no campo, com a compra do tabaco produzido e no comércio, que recebe os recursos desta produção. No setor primário, os dados divulgados pela Emater/Ascar em Venâncio Aires apontam para uma agricultura altamente diversificada. O tabaco segue sendo o principal item nas lavouras, mas outras culturas, especialmente a produção de alimentos ganham força e registram crescimento em alguns segmentos.

A atual safra 2018/2019 na produção de tabaco deve encerrar com mais de 20.385 toneladas colhidas, mesmo com a ocorrência de granizado em algumas oportunidades na região. Segundo o escritório local da Emater, a cidade possui 9 mil hectares de tabaco plantado na atual safra.

PRODUÇÕES EM DESTAQUE

O cultivo de milho no município segue em destaque e fechou 2018 com 8.714,19 toneladas colhidas. Já a produção para silagem alcançou 3.467,38 toneladas. Na sequência aparece o cultivo da soja, que possui 31 produtores e encerrou a safra com 3.194,31 toneladas de produção.

No último ano Venâncio Aires se tornou o principal produtor de mandioca do Rio Grande do Sul. No período foram colhidos 1.639,09 toneladas. São 66 produtores ligados a esta cultura, mas metade disso (33) cultivam para comercializar em agroindústrias ou feiras. A maior parte da produção faz parte das culturas para subsistência e alimentação dos animais. Destaque também para a produção leiteira. Na Capital do Chimarrão foram produzidos 4.082.085 litros de leite, gerados por 113 produtores.