• Hoje é: quinta-feira, julho 18, 2019

Rio Grande do Sul registra cerca de 215 mil raios no intervalo de 34 horas

Guilherme Siebeneichler
outubro13/ 2017

Além da chuva intensa que atinge o Rio Grande do Sul desde terça-feira, 10, também tem chamado a atenção a enorme quantidade de raios que caem no Estado. Em 34 horas, cerca de 215 mil atingiram o solo, conforme levantamento feito pela Somar Meteorologia.

Informações obtidas por meio de um software mostraram que da 0h de quinta-feira, 12, até as 10h desta sexta, 215 mil raios atingiram o solo no Estado. Se fossem considerados aqueles que ocorreram somente entre as nuvens, esse número seria, pelo menos, duas vezes maior, diz a meteorologista Heloisa Pereira, da Somar. Ela explica que o sistema que gerou esses raios coubloqueado sobre a Região Sul, fazendo com que as ocorrências aumentassem. Essas
descargas são resultado da formação de granizo dentro de nuvens profundas —aquelas que, entre a base e o topo, têm mais de 10 mil metros.

VENÂNCIO AIRES

Pelo sistema da Universidade de São Paulo (USP) que disponibiliza informações sobre a incidência de raios no território brasileiro, em Venâncio Aires, entre os dias 10 e 13 deste mês, foram registrados 260 descargas elétricas. A maioria (152) registradas no dia 12 de outubro.

HISTÓRICO

O Rio Grande do Sul já chegou a ser considerado pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) o Estado com maior densidade de raios por quilômetro quadrado (incidência dividida por quilômetro quadrado de cada estado ou município), mas, agora, o Tocantins é quem lidera a lista, com 17,1 raios por quilômetro quadrado. No RS, são 3,7 e Porto Alegre chega a 2,19. O mapa do sistema de monitoramento de raios da USP mostra a atividade das últimas descargas em período que varia entre zero e 15 minutos até as mais antigas, dos últimos 60 a 120 minutos. O sistema mostra que, Litoral Norte, Norte e Missões são as regiões gaúchos com mais incidência de raios.