Relatório aponta queda superior de 30% na renda da Agricultura de Venâncio neste ano

Olá Jornal
agosto01/ 2020

O escritório local da Emater/Ascar de Venâncio Aires realizou projeção de vendas na agricultura. Se comparado com 2019, quando o produtor comercializou R$ 263,2 milhões, em função da seca e outras condições climáticas, o ano de 2020 promete ser o pior em vendas agrícolas da década. A redução, se comparada ao ano anterior, pode alcançar os 37%. A projeção atual aponta para encerramento do ano com vendas totais de R$ 166,05 milhões. Os dados podem sofrer modificações por conta da comercialização até dezembro.

Os dados ainda estão sendo avaliados pelo Engenheiro Agrônomo e chefe do escritório local da Emater Venâncio Aires, Vicente Fin. Conforme o relatório preliminar, as principais diminuições na comercialização, verificadas por meio do bloco de produtor rural, ou seja, com declaração tributária, envolve a produção de tabaco.

A atual safra deve encerrar com R$ 107,9 milhões comercializados. Se comparado com o ano passado, a diminuição alcança os 24%, quando a produção vendida fechou em R$ 141,5 milhões. “A seca atingiu bastante a safra 2019/2020 e também o preço final do produto. O ano, além da pandemia, sofreu com os reflexo da estiagem prolongada, atingindo de forma intensa a agricultura no município,” avalia Fin.

PERDAS
Até então, em 2012 havia registrado comercialização de produtos do setor primário abaixo dos R$ 200 milhões. Naquele ano, afetado por estiagem e enchentes, as vendas agrícolas totalizaram R$ 197,2 milhões.

AUMENTO
Com a estiagem verificada na safra 2019/2020, o escritório local prevê aumento na produção de tabaco na nova safra. A projeção é apontada por Fin, com a tentativa do produtor buscar recuperar parte dos prejuízos deste ano. A avaliação vai na contramão da solicitação de entidades representativas dos fumicultores, que defendem a redução da área plantada, especialmente pelo preço pago aos agricultores. Na última safra em Venâncio Aires foram plantados 9 mil hectares de área com tabaco, com produtividade de 2,25 toneladas, por hectare.