Protótipo do Gefisul passa por ajustes e vai para pista do kartódromo nesta quarta

  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
  • 6212
Janine Niedermeyer
novembro08/ 2016

O primeiro dia da 1ª Shell Eco-marathon do Brasil e da América Latina, em Cotia – São Paulo, foi de intenso movimento nos boxes do kartódromo internacional Granja Vianna. Com a presença de 36 equipes, de oito estados brasileiros diferentes, em cada espaço alunos e professores giravam em torno dos protótipos.

Após o credenciamento, os veículos iam para a vistoria, dos times técnicos da Shell, onde entre os avaliadores haviam profissionais que somente falavam em língua inglesa. Com isso, foi fundamental para todos a presença das tradutoras, como o caso de Eduarda Hackenhaar para a equipe Gefisul, do IFSul de Venâncio Aires. O protótipo elétrico do IFSul foi o primeiro a ser vistoriado, dentre os 36 times.

AJUSTES

Além de analisar questões físicas do protótipo, houve a pesagem dos pilotos. Dois serão os condutores do veículo do IFSul, com Carolina Lima registrando 52kg e Eduardo Mendes da Silva, com 49kg, sendo necessário a colocação de uma pequena barra de ferro para ultrapassar os 50kg, que é o mínimo para ser piloto.

No protótipo em si, ajustes a serem feitos foram indicados pelos técnicos da Shell e após ficar cerca de 1h30min nesse processo, o grupo de Venâncio levou o veículo para o box, que é o de número 8 no local. Dali em diante, após o meio-dia se intensificaram os trabalhos por parte dos mecânicos Andrei Farsen e Junior Henrique, ao lado dos professores Jordan Trapp e Juliano Poleze. Próximo das 19h foram finalizados os serviços.

Segundo Jordan, nesta manhã de quarta-feira, 9, logo cedo o protótipo vai para uma revistoria, que dará o aval para o carro ir para pista, onde das 9h30min às 12h30min devem ocorrer os primeiros testes de todas equipes, já que à tarde, iniciam as primeiras baterias.

Como no caso dos pilotos do IFSul, que ainda não possuem carteira de habilitação, o professor Jordan explica que eles precisarão passar por testes para demonstrar as condições de dirigir o protótipo.

SIGA, CURTA E ACOMPANHE O OLÁ PELO TWITTER E FACEBOOK, onde ao longo do dia você fica sabendo mais do evento!

RECEPÇÃO

No meio da tarde desta terça-feira, 8, a Shell também promoveu a recepção dos participantes. Inicialmente integrantes das equipes se reuniram na pista, junto ao posto de largada, para fotos oficiais do evento. Em seguida, em um quiosque aos fundos dos boxes, houve a abertura oficial.

Presidente da Shell Brasil, há pouco mais de cinco anos, André Araujo foi um dos que se pronunciou e afirmou o quanto a companhia já vinha trabalhando para trazer a Eco-marathon ao país. “Para isso foi importante a presença de equipes do Brasil em etapas fora do país. Sempre foram equipes caracterizadas pela motivação, com garra e comunicação”.

Araujo ainda enfatizou que quando a Shell pensa em inovação, o trabalho em equipe é o que representa isso. “É o empreendedorismo, com universidades e empresas muito pertos umas das outras. Aqui pelo kartódromo já passaram pilotos como Schumacher, Barrichelo e Massa. Quem sabe surjam novos através deste evento”, finalizou o executivo.

Fotos: Maicon Nieland/ Olá Jornal