• Hoje é: segunda-feira, outubro 15, 2018

Proteção a mulher: Vamos falar sobre

Janine Niedermeyer
setembro21/ 2016

De que forma podemos combater a violência contra a mulher? Como podemos agir individual e coletivamente para prevenir esses casos? O que temos a oferecer a quem é vítima desse abuso? Esses são alguns dos questionamentos a serem abordados durante o evento “Vamos Juntas? Queremos falar sobre Proteção a Mulher”, a ser realizado pelo Olá Jornal e Uninter no dia 30 de setembro, às 19h, na Câmara de Vereadores.

A mulher, ao mesmo tempo em que avança em papéis de liderança social, ainda é a maior vítima desta
sociedade. Venâncio Aires, por exemplo, registra quase um caso por dia de violência doméstica, segundo registros da Delegacia de Polícia em 2015, sendo 333 casos no total. Um paradoxo a ser analisado e combatido.

BRASIL

Dados do Mapa da Violência 2015, da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres do Ministério da Justiça e Cidadania, apontam que foram atendidas pelo SUS, em 2014, um total de 85,9 mil meninas e mulheres vítimas de violência exercida por pais, parceiros e ex-parceiros, filhos, irmãos: agressões de tal intensidade que demandaram atendimento médico.

Estima-se que 80% dos atendimentos de saúde no País são realizados pelo SUS; assim, um total estimado de 107 mil meninas e mulheres devem ter sido atendidas em todo o sistema de saúde do País, vítimas de violências domésticas.

AÇÃO

Frente a estes dados, e em comemoração a passagem dos 10 anos da Lei Maria da Penha, o Olá Jornal e a Uninter vão trazer o assunto para reflexão no dia 30 de setembro, às 19h na Câmara de Vereadores.

O evento vai reunir a fundadora do movimento “Vamos Juntas?”, Babi Souza, as juízas Maria Beatriz Londero Madeira e Lísia Dal Osto, as psicólogas do Posto de Atendimento a Mulher (PAM) Márcia Preuss e Aneline Decker e a presidente da Coordenadoria Municipal da Mulher Claidir Trindade.

O objetivo é despertar a atenção social, individual e coletiva, para o tema afim de auxiliar no combate da violência por meio do rompimento da tolerância da sociedade frente ao fenômeno.

Foto: Thinkstock/ Divulgação