• Hoje é: quinta-feira, outubro 17, 2019

Propriedades rurais comandadas por mulheres crescem 12,4% em Venâncio

Olá Jornal
julho30/ 2018

Cresce o número de propriedades rurais venâncio-airenses comandas por mulheres. Os dados constam no Censo Agropecuário de 2017, com números preliminares divulgados nesta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em Venâncio Aires são 443 área agrícolas lideradas por mulheres. O resultado representa aumento de 12,4% se comparado com o último levantamento agrícola, realizado em 2006.

Naquele ano eram 394 estabelecimentos agrícolas que tinham mulheres à frente dos trabalhos. Em compensação, o número de homens responsáveis pelas propriedades é quase oito vezes maior. No ano do levantamento eram 3.919 propriedades lideradas pelo público masculino. Já na pesquisa de 2006, este número era de 4.652.

O resultado também aponta para diminuição no número total de propriedades rurais avaliadas na Capital do Chimarrão. Isso se deve ao abandono do campo, por parte da população, e outro motivo pode envolver o alcance dos recenseadores, que realizam o trabalho de coleta dos dados em locais com produção agrícola para comercialização. Em 2017 o Município contava com 4.367 estabelecimentos agrícolas. Uma redução de 13,5% se comparado com 2006, quando foram identificados 5.046 propriedades rurais venâncio-airenses.

BRASIL
O levantamento trouxe ainda um perfil dos trabalhadores no pais. Cresceu o número de mulheres entre os produtores. O percentual foi de 12,7%, em 2006, para 18,6%, em 2017. Também foi verificado o envelhecimento deles, com redução daqueles com idade até 45 anos e aumento mais significativo entre aqueles com idade a partir de 55 anos. No país são mais de cinco milhões de propriedades rurais.

O Censo mostra ainda que 15,5% dos produtores declararam que nunca frequentaram escola; 29,7% não passaram do nível de alfabetização, e 79,1% não foram além do nível fundamental. Além disso, 23,05% declararam não saber ler e escrever.

O acesso à internet cresceu 1.790%. O número de produtores que declararam usar a rede passou de 75 mil, em 2006, para 1,4 milhão de produtores no ano passado.