• Hoje é: quinta-feira, junho 20, 2019

Projeto Reviver ganha novo espaço para atividades

Olá Jornal
junho13/ 2019

Existente há 14 anos, a Associação Reviver, entidade comunitária que atua em parceria com o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) receberá um novo espaço para a realização de suas atividades. Trata-se do prédio anexo ao Posto de Saúde do bairro Gressler, que está sem uso e recentemente foi alvo de depredação e furto. Absoleto, torna-se um espaço vulnerável!

Anteriormente a instituição usava uma área que hoje pertence ao Hospital São Sebastião Mártir (HSSM). Atualmente, a associação está sem sede para desenvolver suas atividades pedagógicas e de inclusão social.

A Associação Reviver é a única existente no Estado com esse formato, atuando com a rede de serviços de saúde mental pública por meio da parceria com a Secretaria Municipal de Saúde. O CAPS II, atende pacientes com transtornos mentais severos e persistentes que justifique sua permanência num local de cuidado intensivo. A Associação oferece acolhimento com acesso ao trabalho/ lazer, fortalecendo os laços familiares e comunitários, além da reconstrução social e convívio diário.

A Secretária, Tesoureira e Oficineira, Eliane Teresinha Pereira, é responsável pela classificação do lixo, juntamente com oito pacientes capacitados para realizar a separação dos materiais que serão reaproveitados. “Usamos retalhos de tecidos, CDs e DVDs velhos, jornais e revistas; papelão, latinhas, tampinhas, garrafa PET e caixas treta Pack, por exemplo. Futuramente vamos trabalhar com o tecido de guarda-chuva para novas confecções. Nós não trabalhamos apenas com vidros e isopor”, relata.

De acordo com a Presidente da Associação, Diamantina Odília Leites, a entidade visa o bem-estar dos pacientes, oferecendo-lhes atividades recreativas e oficinas de reciclagem de diversos materiais, transformando-os em artesanato e acessórios. Esses produtos são revendidos para gerar lucros para uso comum dos pacientes na promoção de atividades diversas, festejos temáticos e viagens. “Realizamos tudo isso com amor de forma voluntária, pensando sempre no bem-viver e estar dessas pessoas que necessitam de atenção, carinho e compaixão”, declara.

CRÉDITO: AI PMVA