• Hoje é: quarta-feira, novembro 21, 2018

Programa Propriedade Sustentável apresenta resultados na Região Sul do Brasil

Guilherme Siebeneichler
setembro18/ 2017

No ano em que comemora uma década de existência, o Programa Propriedade Sustentável, desenvolvido em parceria pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Santa Catarina (Fetaesc), Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag), Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Paraná (Fetaep) e Souza Cruz, está apresentando, durante os meses de agosto e setembro, os resultados obtidos pelos 240 produtores participantes no último ano. Nesta sexta-feira, 15, o município de Passo do Sobrado, no Vale do Rio Pardo, sediou o evento.

No mês de agosto, os encontros foram realizados em Braço do Norte (SC), dia 15, Imbuia (SC), dia 17, São Miguel D’Oeste (SC), dia 29, Virmond (PR), dia 30 e São Jorge do Oeste (PR), dia 31. Em setembro, as apresentações iniciaram dia 1º, em Irati (PR); dia 12, em Toropi (RS); dia 13, em Gramado Xavier (RS); e dia 14, em Canguçu (RS). Na próxima semana, os dois últimos eventos acontecem em Piên (PR), dia 19, e Canoinhas (SC), dia 20.

Durante os eventos, coordenados pela equipe da Epagri e da Souza Cruz, são apresentadas as tendências para o agronegócio na pequena propriedade familiar, as forças e fraquezas das mesmas com o propósito de auxiliar no processo de tomada de decisão para o futuro de cada propriedade rural. Esta análise considera a escolha das atividades mais rentáveis, com o aumento da escala de produção e a eficiência produtiva, que certamente resultarão em melhores resultados.

De acordo com gerente de Sustentabilidade da Souza Cruz, Claudimir Rodrigues, os resultados alcançados nestes 10 anos de programa podem ser compartilhados como referência para outros produtores, num modelo de propriedade de agronegócio familiar no Sul do Brasil. ”É um programa que busca a prosperidade como viabilizador da sucessão do negócio e da pequena propriedade. Ele busca envolver a família, fazer a contabilidade e através disso ver quais atividades que estão sendo conduzidas. E entre elas, ver em quais que os produtores estão sendo eficientes, o que eles precisam melhorar e até fazer uma readequação de opções na propriedade, ou seja, auxiliar a tomar boas decisões”, enfatiza. A Souza Cruz disponibiliza um técnico para cada 40 propriedades, que acompanha full time o processo, que inicia com o planejamento, o acompanhamento e no final o fechamento do ano agrícola com seus resultados sendo comparados ao planejado e assim sucessivamente.

Saiba mais: O Programa Propriedade Sustentável teve início em 2007, em 80 pequenas propriedades catarinenses, em quatro polos nas regiões dos municípios de Braço do Norte, São Miguel do Oeste, Canoinhas e Imbuia, com o objetivo de aperfeiçoar a gestão das propriedades rurais com o Software Contagri do CEPA/Epagri. Com base neste conhecimento e nos dados coletados, foi possível gerar referências (benchmarks) de gestão para o agronegócio familiar nas pequenas e médias propriedades catarinenses. Atualmente, são 12 polos com 20 produtores cada, totalizando 240 propriedades contempladas na iniciativa em Santa Catarina, no Rio Grande do Sul e no Paraná.

Souza Cruz

Sediada no Rio de Janeiro, a Souza Cruz é uma das mais relevantes empresas do Brasil. Líder de mercado, atua desde o plantio do tabaco até a distribuição de cigarros, há 114 anos. É considerada uma força no varejo nacional e na exportação de tabaco.

Sua cadeia produtiva mantém 6,5 mil colaboradores diretos, cerca de 200 mil empregos indiretos e 27 mil produtores rurais integrados de tabaco, que geram solução de renda para mais de 100 mil famílias no campo. Seus produtos chegam a 265 mil varejistas em quase 5.500 municípios, o que constitui a mais complexa e abrangente operação de distribuição da British American Tobacco (BAT), controladora da empresa.

CRÉDITO: Four Comunicação

FOTO: Gelson Pereira