Professores solicitam apoio para pressionar derrubada da reforma do funcionalismo estadual

Olá Jornal
dezembro19/ 2019

A tribuna da sessão do Parlamento Municipal nesta segunda-feira, 16, foi ocupada por representantes do magistério, que estão em greve. O movimento grevista já está com escolas paralisadas totalmente e parcialmente no município há mais de 20 dias. Os profissionais querem a retirada do pacote que prevê reformas nas aposentadorias e carreiras do funcionalismo gaúcho. Pela segunda vez, representantes dos professores estaduais acompanharam a sessão da Câmara.

A diretora do Cpers/Sindicato na região, Marione Drebel, destacou durante a sessão, a importância dos vereadores se unirem na luta dos professores, contra o pacote do governo estadual. “Esta semana inicia a votação deste pacote. Precisamos que todos os vereadores entrem em contato com os seus deputados estaduais para pressionar e buscar a derrubada deste projeto que ataca diretamente a educação do nosso estado,” destacou.

Alguns vereadores, do PDT, MDB e PSB destacaram os contatos já realizados com deputados estaduais e que se posicionaram contrários ao projeto de lei.

Diante da pressão social e da falta de apoio de deputados, mesmo da base, o governo do Estado decidiu adiar para o início do ano que vem a votação da maior parte dos projetos que compõem o pacote de reformas. Conforme o 18º Núcleo do Cpers/Sindicato, estima-se que 80% dos professores estaduais da região do Vale do Rio Pardo ainda estão mobilizados e em greve. Em Santa Cruz do Sul, a paralisação, conforme a categoria, alcança 100% das escolas e vai mobilizar 400 professores rumo à Capital para acompanhar as votações nesta semana.