Produtores de tabaco tentam realizar mobilização na COP7 mas são impedidos

Guilherme Siebeneichler
novembro07/ 2016

Na manhã desta segunda-feira, entidades representativas dos produtores de tabaco da Índia programaram atividade para apresentar a situação atual da Conferência das Partes da Convenção-quadro para o Controle do Tabaco. O objetivo era de reunir até 700 pessoas, entre fumicultores e varejistas, para explicar o tratado global que busca diminuir o consumo de cigarros. A ordem de dissipar, segundo as entidades ligadas aos fumicultores, partiu da Organização Mundial da Saúde (OMS), para não atrapalhar os debates da conferência.

O ato era organizado desde o mês de outubro, quando ocorreu no país indiano reunião da Associação Internacional de Produtores de Tabaco (ITGA em inglês). Inicialmente o ato de protesto seria realizado em frente a Expo Mart, local da COP7. Entretanto nos últimos dias o policiamento aumento na localidade. Desta forma, cerca de seis ônibus seriam deslocados para um evento pacifico na sede do Instituto do Tabaco da Índia. Entretanto, apenas um foi autorizado a participar.

O presidente da Afubra, entidade filiada a ITGA, participou do evento na manhã desta segunda-feiram 7. Além de Índia, o ato reuniu representantes dos produtores de tabaco da Zimbabuw, Brasil, Hungria e Malawi. Segundo Benicío Werner o ato buscava apresentar aos produtores mais pobres a situação atual do tratado de redução do consumo do cigarro. “A polícia chegou e mandou encerrar o evento. Desde de domingo estão perseguindo os produtores de tabaco.

De acordo com os agricultores, a convenção foi antidemocrática por terem negado participação dos agricultores. A comunidade de agricultores também aprovou em conjunto uma Declaração de Deli que traça as medidas para combater a injusta e injusta abordagem ao controle do tabagismo.

FOTO: Divulgação