Prefeitura muda proposta de reajuste dos servidores e vereadores aprovam 5,1%

Guilherme Siebeneichler
março27/ 2017

Após fechar o reajuste salarial dos servidores municipais em 6,7%, sendo 5,1% de reposição inflacionária e outros 1,6% de ganho real, a Prefeitura de Venâncio Aires reenviou o projeto de lei sobre o tema e mudou a proposta. A decisão pegou o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de surpresa. A mudança ocorre, segundo o governo, em virtude do Orçamento Municipal para o ano prever somente o reajuste com a inflação oficial.

Desta forma, o novo projeto, enviado às pressas para o Legislativo Municipal, nesta segunda-feira, 27, foi modificado para o reajuste em cota única de 5,1%.

A proposta inicial aprovada em assembleia da categoria na última semana seria paga em três parcelas ao longo do ano. Com novo texto, aprovando o percentual de reajuste, será debitado já na folha referente ao mês março, data-base do funcionalismo municipal.

As mudanças na reposição salarial geraram discussões acaloradas na sessão desta segunda-feira, 27. O líder do governo, Ezequiel Stahl (PTB), justificou que o projeto anterior enviado pelo Executivo Municipal não tinha condições de ser aprovado por inconstitucionalidade. “Não havia previsão orçamentária para tal reajuste,” explicou.

Tiago Quintana (PDT), destacou que em nove anos, é a primeira vez que o projeto de reajuste dos servidores não foi o acordado com o sindicato da categoria. “O projeto veio para a Casa com 1,6% de ganho real, mas sem o impacto financeiro. Ou o governo foi fraco de não ter previsto, ou foi uma estratégia para não cumprir a promessa.”

NEGOCIAÇÕES SEGUEM

O vereador Adelânio Ruppenthal (PSB) salientou que a busca pelo reajuste real ao funcionalismo seguem no governo municipal. “Dependendo da receita que o Município alcançar poderá buscar em novembro o ganho real.”

Já o progressista, Eduardo Kappel (PP), se desculpou pela tropeçada do governo, de não ter cumprido o que acordou em assembleia. “Evidente que o prefeito acabou prometendo algo que ele não pode cumprir. Mas as negociações podem continuar pelo reajuste real, até novembro, se não, que o prefeito trabalhe para equilibrar essa perda no próximo ano.”

A reportagem do Olá Jornal contatou o prefeito Giovane Wickert (PSB), que está em viagem em Brasília, mas não obteve retorno.

Guilherme Siebeneichler
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com