• Hoje é: sexta-feira, setembro 21, 2018

Prefeitura defenderá Assoeva em processo devido as goteiras no Poli

Olá Jornal
abril11/ 2018

A Assoeva enfrenta mais um processo no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD). Desta vez, a denúncia é referente as goteiras do Poliesportivo que paralisaram por 25 minutos o jogo entre Assoeva x Tubarão, na segunda rodada da Liga Nacional de Futsal, no dia 24 de março. Segundo o processo, a paralisação não ocorreu meramente em razão da forte chuva, mas pela estrutura deficiente da quadra e ginásio, o que poderia ocasionar algum tipo de risco a integridade dos atletas.
Por infringir o artigo 211, que dispõe que ao deixar de manter o local que tenha indicado para a realização do evento com infraestrutura necessária, a multa ao clube poderá ser de R$ 100 a R$ 100 mil, além da interdição do local até a satisfação das exigências.
Tão logo, ao tomar conhecimento do processo, a Prefeitura se dispôs a auxiliar na defesa. A secretária municipal de Planejamento, Jalila Böhm Heinemann e a procuradora Jurídica do Município, Marion Kist, se reuniram no início desta semana com o presidente da Assoeva, Engelberto Henn, a quem entregaram cópia da documentação que comprova o processo licitatório, que está em andamento, e que prevê a instalação de manta asfáltica no ginásio, resolvendo o problema das goteiras.
O projeto já está com o Setor de Compras da Prefeitura, que deverá abrir o Edital de Concorrência nos próximos dias. Esta etapa será de 45 dias. Após esta tramitação burocrática, a empresa vencedora dará início a obra, que custará cerca de R$ 70 mil e será realizada com recursos próprios da Administração Municipal.
Agora a defesa da Assoeva reunirá toda a documentação para encaminhar ao TJD. No encontro, a procuradora Marion Kist ainda ressaltou que irá auxiliar o defensor da Assoeva, Enedir Cristino, no que for necessário.

Portões fechados
Agendado para o próximo sábado, 14, a partir das 18h, a partida entre Assoeva x Copagril, válida pela quarta rodada da Liga Nacional de Futsal, será com portões fechados. O jogo será realizado no ginásio Poliesportivo, no entanto, não terá a presença do torcedor. Isso porque, a Assoeva precisa cumprir a pena da perda de um mando de quadra. A punição se refere aos incidentes causados por torcedores da Assoeva, na partida válida pela volta das semifinais da LNF no dia 12 de novembro do ano passado. Durante a realização do jogo contra o Marreco, torcedores da equipe de Venâncio arremessaram líquido para dentro da quadra. O fato foi registrado em súmula e julgado no TJD.
Após recorrer, o clube foi punido com uma multa de R$ 3 mil e ainda a perda de um mando de quadra, que a princípio teria que ser cumprido fora de seus domínios.
No entanto, após o apelo da direção, ficou acordado que o clube poderá cumprir a punição em casa, mas terá que ser sem torcida.