Prefeito corta turno único em dia de pagamento dos servidores da secretaria de Obras

Para muitos a regra de turno único para dias de pagamento em alguns setores da Administração Municipal é novidade. Mas há pelo menos 20 anos a regra é aplicada aos servidores da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, além de setores da pasta de Agricultura. O funcionalismo tem o salário depositado, normalmente, na última sexta-feira de cada mês. Entretanto, o turno único concedido para alguns funcionários foi suspenso pelo prefeito Giovane Wickert (PSB) na última semana.

Um decreto será formalizado e assinado excluindo o turno especial (7h30min às 13h30min) para os funcionários públicos que atuam no perímetro rural do município. A normativa foi criada ainda durante o primeiro governo de Glauco Scherer e era renovada ao longo dos anos. O último foi assinado em 2014. Quando criado, o decreto era justificado para garantir aos funcionários a utilização do serviço bancário, já que a prefeitura efetuava o pagamento por meio de cheque. Desta forma, os servidores que atuavam no perímetro rural trabalhavam na parte da manhã para garantir atendimento nas agências.

Porém, com o avanço tecnológico, o atual governo entendeu que esse tipo de benefício não tem necessidade, por conta da perda de horário de serviço. “Hoje o serviço de banco pode ser realizado fora do horário de atendimento normal. A rede de caixas eletrônicos funciona até às 22h, e o serviço de cartão de crédito chega a lugares do interior também,” esclarece Wickert.

Atualmente o salário do funcionalismo é depositado por meio da Caixa Econômica Federal.

DESCONTENTAMENTO
A decisão do governo municipal deixou alguns servidores descontentes. Embora não tenha assinado o decreto, a medida já está valendo e foi informada aos servidores pelos secretários municipais de cada pasta. “É preciso direitos iguais para todos os servidores, até porque os professores, que também atuam no interior, não ganhavam o benefício do turno único,” ressalta Wickert.

PONTO
O prefeito afirma que as cobranças do cumprimento da carga horária e garantia de serviço fazem parte dos planos de gestão. Equipamentos para registro do ponto e os livros estão sendo exigidos em todos os setores da Administração Pública. “O que é para um é pra todos, estamos cobrando o respeito a carga horária. Buscamos a valorização dos servidores em diversos quesitos, mas também queremos o cumprimento das obrigações.”

Wickert afirma que diversos segmentos do funcionalismo terão modificações na carga horária e até valorização.
Para isso será realizada a reforma administrativa, avaliada por uma comissão do governo, representada por membros de cada secretaria municipal.