Perdas na agricultura com a estiagem aumentam em Venâncio

Olá Jornal
março18/ 2020

As estimativas de perdas no setor primário de Venâncio Aires seguem crescendo. Até esta segunda-feira, 16, conforme relatório do escritório local da Emater/Ascar, alcançam R$ 75 milhões. O valor é maior que o inicialmente projetado, em R$ 55 milhões, apontado ainda em fevereiro. A continuação da estiagem acabou ampliando os prejuízos nas principais culturas agrícolas do município.

A situação de seca se agravou ao longo dos últimos dias no estado. Segundo dados atualizados pela entidade de extensão rural a produção de olerícolas possuem quebra de 45%, afetando também a entrega de produtos em feiras e pontos de distribuição de verduras e folhosas. Já a produção de frutas e cítricos possuem quebra de 25%.

Outra cultura agrícola com perdas significativas é a do milho. A produção do tipo safrinha acumula quebra de 26,7%. Já o milho safra, possui perda de 50%. O cultivo do arroz possui 9,5% de perdas no município.

A produção leiteira também registrou perdas significativas para o período, ao longo da estiagem. No período foram 750 mil litros de redução na produção. A produção de carnes possui redução de 84 toneladas no período.

REDUÇÃO
Nesta segunda-feira, 16, a Farsul divulgou projeções para principal cultura agrícola do estado, a soja. A safra de soja do Rio Grande do Sul pode registrar perdas de até 50% na temporada de 2019/20 em função da forte estiagem que tem atingido o território gaúcho.

Na última semana, a Emater-RS revisou pela segunda vez a perspectiva de produção no ciclo de 2019/20 para baixo, agora estimando uma redução de 32% ante as projeções iniciais do Rio Grande do Sul, para 13,3 milhões de toneladas. A seca também afetou a produção gaúcha de milho, que deve recuar cerca de 26,2% em 2019/20.