• Hoje é: segunda-feira, outubro 15, 2018

Olá Jornal acompanha a primeira reunião do Protocolo para Eliminar o Comércio Ilícito de Produtos do Tabaco

Olá Jornal
outubro08/ 2018

Com exclusividade a jornalista Janine Niedermeyer acompanha a primeira Reunião das Partes (MOP1) para o Protocolo para Eliminar o Comércio Ilícito de Produtos do Tabaco. A reunião com 48 países que assinaram o protocolo ocorre na sede da Organização Mundial da Saúde (OMS). Os debates buscam criar ferramentas e medidas entre as nações que assinaram o tratado para juntos tentar barrar o comércio de cigarros ilegais nos país. Para o Brasil o assunto ganha força, já que estimativas apontam que mais de 40% do comércio de cigarros é de produto ilícito.

A jornalista do Olá Jornal acompanhou na última semana a 8ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (COP8), em Genebra, na Suíça. A profissional segue no país europeu para detalhar os debates que ocorre entre esta segunda-feira, 08 até a quarta-feira, 10, quando encerra a MOP1. Janine é a única profissional de comunicação brasileira credenciada para acompanhar o evento global.

 

 

O mercado negro de tabaco internacional abriu hoje a sua primeira sessão, lançando um nova frente nos esforços de controle do tabagismo. A primeira Reunião das Partes (MOP1) ao Protocolo para Eliminar o Comércio Ilícito
em produtos de tabaco marca um marco na implementação de sua mãe tratado, a Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco da OMS (FCTC). “Hoje é um dia histórico para o controle do tabaco”, disse a Dra. Vera da Costa e Silva, chefe Secretaria da CQCT da OMS.

O Protocolo fornece um conjunto abrangente de ferramentas para combater o comércio ilícito, estabelecimento de um sistema de monitoramento global para rastrear e rastrear o produtos de tabaco e atualizações sobre sua situação legal. O Protocolo também inclui medidas para promover a cooperação internacional, incluindo sanções e execução. Até o momento, 48 Partes aderiram ao Protocolo, e dois terços das Partes promulgou ou reforçou a legislação nacional destinada a combater o comércio ilícito produtos de tabaco.

O Protocolo visa combater o mercado negro do tabaco, que tem desempenhado um papel importante para minar as políticas de controle do tabagismo e a saúde pública. Comércio ilícito de produtos de tabaco também alimenta o crime organizado e aumenta os lucros do tabaco através da evasão de impostos, resultando em perdas substanciais no governo receita.

Dr. da Costa e Silva pediu às Partes do Protocolo para forjar uma frente unida contra o mercado ilegal do tabaco. “Combater o comércio ilícito de produtos do tabaco é um problema global que requer cooperação internacional ”, disse ela. A Dra. Da Costa e Silva enfatizou que a implementação efetiva do Protocolo eve envolver a colaboração de agências governamentais, incluindo alfândegas, finanças e aplicação da lei, com o envolvimento próximo do setor da saúde como, em última análise, o sucesso do Protocolo será medido em ganhos de saúde pública.