• Hoje é: sábado, dezembro 15, 2018

Número de vacinação contra gripe em gestantes e crianças ainda é considerado baixo

Olá Jornal
junho13/ 2018

Cerca de 77% das gestantes já tomaram a vacina da gripe em Venâncio Aires. Já o percentual entre as crianças com idade entre seis meses e cinco anos é de 64,04%. O número em ambos ainda é considerado baixo, já que o objetivo é vacinar 90% das pessoas na área de risco.
Segundo a enfermeira da Vigilância Epidemiológica e Imunizações de Venâncio Aires, Carla Lili Mülller, existem vários motivos para muitas pessoas ainda não terem se vacinado. “Em relação as crianças muitos pais ainda não conseguiram vir ou não querem, outro motivo é a proibição médica para realizar a vacina”, explica.
Já no grupo das gestantes, segundo Carla o número deve estar superestimado. “Já vacinamos todas as mulheres cadastradas no Sistema Único de Saúde (SUS) e muitas no consultório também. No total já foram 459 gestantes e ainda restam se vacinar 130”, justifica.
A campanha que iniciou no dia 23 de abril, disponibilizou mais de 21 mil doses da vacina. Para se vacinar os munícipes devem ir a uma das 17 unidades de saúde do município e apresentar a sua carteira de vacinação.
A vacina protege contra três subtipos do vírus da gripe e leva em torno de 15 dias para fazer efeito. Além das crianças e gestantes, devem se vacinar idosos, mulheres com até 45 dias após o parto (puérperas), trabalhadores da área da saúde, professores e apenados.

NOVO PÚBLICO ALVO
A partir desta segunda-feira, 11, crianças menores de 10 anos e adultos a partir de 50 estão incluídos nos grupos prioritários para a vacinação contra a gripe. A medida foi tomada pela Secretaria de Saúde do Estado (SES) devido aos números recentemente divulgados no Informe de Vigilância da Influenza. Foram 44 casos confirmados da doença no Rio Grande do Sul, oito são em crianças de 5 a 9 anos, e nove entre adultos de 50 a 59.

COBERTURA DA VACINAÇÃO
Crianças ……………………….. 64,6%
Idosos ……………………………… 76%
Gestantes ……………………….. 77%
Puérperas ……………………….. 79%
Trabalhadores de saúde ….. 76%