• Hoje é: terça-feira, dezembro 11, 2018

No silêncio do Poli, a Assoeva busca pelos pontos perdidos

Olá Jornal
abril14/ 2018

A Assoeva busca neste sábado, 14, recuperar os pontos perdidos nas rodadas iniciais. Apesar de não poder contar com o apoio do torcedor mesmo jogando em casa – jogo será com portões fechados por conta de cumprimento de punição, o grupo de Fernando Malafaia sabe da necessidade de vencer, já que ainda não somou três pontos na Liga Nacional de Futsal 2018.
O time de Venâncio enfrenta a partir das 18h, no Ginásio Poliesportivo, o Copagril, pela quarta rodada da competição nacional. A Assoeva ocupa a 17ª colocação na tabela de classificação, com apenas um ponto somado, estando uma posição atrás da equipe de Marechal Cândido Randon, por conta do saldo de gols.
“Os atletas estão conscientes de suas obrigações, trabalhando muito na busca por uma atuação mais consistente e isso vai acontecer. A dedicação tem sido a grande qualidade deste trabalho novo e assim tudo dará certo”, destaca o técnico Fernando Malafaia. No entanto, o comandante lamenta a ausência do sexto jogador. “Este silêncio não é nada bom pois o apoio de nosso torcedor já mostrou sua força e o quanto nos fortalece.”
O pivô Caio Júnior, expulso no último jogo, fica de fora. Já o ala Gui, recuperado de um corte no joelho já está recuperado e deverá atuar. O ala Zico, que passou por um longo processo de recuperação ao realizar uma cirurgia no tornozelo já voltou a treinar com bola, mas deverá ser relacionado para partidas apenas no fim deste mês.
Depois do jogo no Poliesportivo, o próximo compromisso da Assoeva será em Santa Catarina, diante do estreante na competição, o Blumenau. O confronto será sexta-feira, dia 20, às 20h15min.

Absolvida
A Assoeva foi absolvida no caso das goteiras do Poliesportivo, denunciada pelo Tribunal de Justiça Desportiva. O julgamento do processo ocorreu na quinta-feira e ao apresentar a defesa, na qual argumentava que o problema já está sendo solucionado por parte da Administração municipal, o clube foi absolvido por 3 votos a 2. O processo, movido por conta do jogo entre Assoeva x Tubarão no dia 24 de março. O argumento era de que a estrutura daquela maneira colocava em risco a integridade física dos atletas.