• Hoje é: quinta-feira, junho 20, 2019

Município registra aumento de 14% nas transações imobiliárias

Olá Jornal
junho10/ 2019

O dado leva em consideração as movimentações imobiliárias a partir da arrecadação do Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), e pode apontar um novo movimento no setor. O crescimento de 14% é verificado entre janeiro e maio deste ano, quando comparado ao resultado de 2018, no mesmo período.

Este tributo é arrecadado pelo Município, obrigatório quando acontece qualquer aquisição imobiliária. Ele deve ser pago para assegurar a transferência do imóvel ao novo comprador. No caso de não haver o pagamento, o imóvel não é transferido e a documentação não é liberada. Segundo a Fazenda Municipal, também pode apontar movimentações no mercado imobiliário e ser uma balizador das negociações no período.

“Temos uma sinalização positiva de reaquecimento do setor, frente ao ano passado. Este é um segmento importante também para a economia do Município, pelas negociações de imóveis, mas também por sinalizar novas oportunidades de investimentos, que geram postos de trabalho e outros envolvimentos,” destaca Eleno Stertz.

O tributo é calculado a partir do valor do imóvel. São 2% do montante total, que acabam sendo direcionados ao caixa municipal. Em 2019 a projeção é de arrecadar R$ 2,9 milhões, ou seja, até maio deste ano, a Prefeitura já arrecadou 41,24% da projeção, garantindo R$ 1.208.384,82.

Quando comparado a 2019, em igual período (entre janeiro e maio), o Município havia arrecadado R$ 1.056.000,00. O aumento de 14% é superior ao verificado em Santa Cruz do Sul, por exemplo, que na mesma comparação registrou crescimento de 12,6%.

MERCADO
O desempenho da economia brasileira neste ano tem sido decepcionante para muitos setores, mas nem todas as notícias são negativas. Um dos mais importantes geradores de emprego e riqueza no país, o mercado imobiliário dá sinais claros e consistentes de crescimento, tanto em vendas quanto em lançamentos de empreendimentos.

Segundo a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), o número de contratos para aquisição de imóveis residenciais avançou 9,7% nos três primeiros meses do ano na comparação com o mesmo período de 2018. Foram vendidos 28,7 mil imóveis, ante 26,1 mil de janeiro a março do ano anterior. Já o total de lançamentos no mesmo trimestre registrou alta de 4,2%, com 14,7 mil unidades em todo o país.

A Cbic estima aumento de 10% a 15% nas vendas no fechamento de 2019, puxado pelo segmento de imóveis de médio e alto padrões, no qual as moradias são financiadas por fundos que utilizam recursos da poupança.