• Hoje é: quarta-feira, outubro 17, 2018

Município avalia reabertura do albergue para moradores de rua

Guilherme Siebeneichler
março31/ 2017

Como alternativa para garantir atendimento aos moradores de rua, a Secretaria Municipal de Habitação e Desenvolvimento Social busca recursos para a reabertura do albergue temporário. O atendimento objetiva fomentar o trabalho junto a esta população, em especial no inverno. Atualmente o Município presta algum tipo de atendimento a 15 pessoas que vivem nas ruas.

O acompanhamento dos andarilhos é feito junto ao Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e na própria secretaria. Estes atendimentos dizem respeito a encaminhamentos de documentação civil, orientações, serviços de saúde e saúde mental, auxílio com alimentação, trabalho de fortalecimento e resgate de vínculos familiares, encaminhamento para cidade de origem, entre outros.

Segundo o secretário, José Arnildo Câmara (PTB), o Município avalia a reabertura de estrutura temporária para atender os moradores de rua. “Atualmente o Município não conta com a estrutura temporária organizada em 2016 para acolher essas pessoas, visto que foi organizada para suprir uma necessidade temporária devido ao rigoroso inverno de 2016.”

Avaliação orçamentária e alternativas de financiamento são os desafios da pasta para buscar a reativação do projeto. “A possibilidade de reativar este serviço vem sendo estudada pela gestão municipal, contudo depende de orçamento disponível,” explica.

ALTERNATIVA
Ao longo do ano passado a secretaria de Desenvolvimento Social fazia o acompanhamento de 10 moradores de rua. A maior parte deles possuem família, mas não residem em Venâncio Aires. No ano passado a prefeitura organizou, com ajuda de voluntários, um espaço em que oferecia acomodações para até 15 pessoas e ficava aberto das 19h às 7h.
As pessoas que faziam uso do albergue eram cadastradas pela secretaria de Habitação e Desenvolvimento Social e utilizavam, também, a rede de atenção básica.

O local foi estruturado ao fundos do antigo prédio da secretaria de Assistência Social, na rua Visconde do Rio Branco. Clubes de serviços, igrejas e servidores municipais se envolveram na consolidação do espaço provisório que foi criado a partir de decreto municipal e teve duração de 90 dias.

FOTO: Agência Brasil