Jovens retratam experiências no meio rural

Janine Niedermeyer
julho01/ 2017

A preocupação em manter os jovens no meio rural é um fator que tem feito diferentes entidades se mobilizarem para reforçar a importância da sucessão. Em Venâncio Aires, o assunto voltou a pauta na última quinta-feira, 29, quando agricultores de Teutônia e Montenegro falaram para o público jovem que vive no interior, à convite da Emater/Ascar local.

No auditório do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), a dupla João Antônio da Silva, produtor de morangos em Montenegro e Fábio Luiz Secchi, produtor de aves e de leite em Teutônia falou com o grupo. Aos 29 anos, Secchi administra a propriedade ao lado dos sogros em Linha Catarina e foi em 2013 que voltou para o interior, uma escolha por paixão e liberdade que o interior oportuniza.

O produtor rural enfatiza que para ele o principal fator com que faz que os jovens saiam do campo é a falta de informação.

“Nós temos assistência técnica, só que a maioria das famílias ainda é relutante em buscar por isso para que elas tenham um resultado melhor. Muitas vezes se queixam que o resultado financeiro não é bom, mas ainda não conseguem fazer mudanças nos seus estilos de trabalho”.

Conforme Secchi, o ganho financeiro somente virá a partir de resultados e decisões tomadas pelos próprios agricultores, mas para que sejam acertadas é preciso ter a informação de qualidade. “Hoje tecnologia a gente tem, espaço tem, mão de obra a gente tem e não existe lugar melhor no mundo que o Brasil, as nossas regiões aqui, para produzir alimentos e da agricultura familiar, para gerar renda com isso”.

A atividade fez parte do programa de valorização do jovem no campo desenvolvido pela Emater, com a parceria da Prefeitura, por meio da Secretaria de Agricultura, do STR, Sindicato Rural e Sicredi. O grupo de jovens volta a se reunir no dia 10 de outubro.

Foto: Maicon Nieland