• Hoje é: domingo, setembro 22, 2019

Hospital terá plano de recuperação com fundo de emergência

Olá Jornal
julho20/ 2019

O Hospital São Sebastião Mártir chega aos 84 anos nesta segunda-feira, 22, vislumbrando um novo horizonte com a implantação de um plano de recuperação que contará com um fundo de emergência para sanar as dificuldades financeiras. Com uma dívida de R$ 17 milhões, a principal estrutura de saúde do município tem mais uma vez o desafio de equilibrar as contas e diminuir a dívida.

A nova estratégia de gestão está sendo proposta pelo prefeito Giovane Wickert como forma de estancar a dívida e diferenciar o que são despesas do trabalho do dia a dia e o que refere-se à dívida. “Estamos construindo com o controle interno uma ferramenta de gestão para que não haja confusão de valores. É preciso distinguir as contas para que não seja um balde furado. O objetivo é ir abatendo a dívida”.

De acordo com o gestor, poucos municípios têm algum fundo parecido e, por isso, a equipe está montando o sistema do zero, uma ferramenta de gestão, e deve enviar o projeto ao legislativo nos próximos dias. Será criado um conselho deliberativo com vários representantes da sociedade que ficarão responsáveis por gerir o fundo e buscar recursos em diversas frentes como empresários, emendas parlamentares e pessoas físicas integrado com o Estado e União.

UNIÃO
A união de esforços de todos os setores envolvidos e da comunidade é o caminho para a recuperação somado ao que já foi feito até aqui. “Todos os ciclos vão se integrando. A gestão do Dr. Oly foi muito importante, trouxe avanços e agora a nova gestão também. O hospital é o coração da estrutura de saúde do município que conta com Upa, Samu, unidades básicas, mas o hospital é vital e buscamos uma maior integração do município dando aporte e suporte”, afirma o prefeito.

CAMPANHA
O presidente do hospital, Luciano Spies, também acredita que a participação de todos é o único caminho para a casa de saúde. Por isso, a instituição lança a campanha “A Saúde do Hospital é da Sua Conta”, que incentiva a população a contribuir com a dedução de valores da conta de luz. O objetivo é arrecadar R$ 50 mil mensais em doações, uma vez que as despesas com energia elétrica chegam a R$ 80 mil por mês. “A recuperação financeira passa pela participação da comunidade é uma das formas de auxiliar com apoio dos empresários e poder público que é um grande parceiro para manter a qualidade dos serviços”, avalia.

Segundo Spies, os repasses em atraso referem-se ao IPE com uma dívida de R$ 500 mil e a falta de repesasses mensais, onde o hospital fatura R$ 300 mil e recebe apenas R$ 200 mil por mês.As despesas mensais gerais do hospital chegam a R$ 4 milhões sendo o maior custo os honorários médicos e a folha de pagamento.
A unidade de saúde ainda busca aumentar as receitas vindas de atendimentos particulares mas, para isso, não necessários investimentos.

“O aumento da receita via SUS é praticamente impossível então o foco é a rede particular, investir mais no setor privado com a construção de novos leitos mas recém buscamos crédito então é complicado agora”, explica o presidente.