• Hoje é: terça-feira, junho 19, 2018

Hospital São Sebastião Mártir monitora estoque de oxigênio, por conta da paralisação dos caminhoneiros

Olá Jornal
maio24/ 2018

Com a paralisação dos caminhoneiros nas estradas do país, a entrega de mercadorias está sendo afetada. No Hospital São Sebastião Mártir a entrega de gases, entre eles o oxigênio, exige atenção, já que o reabastecimento ocorre nas quintas-feiras. Com isso, a direção da casa de saúde busca alternativas e estabelece políticas de economia. O estoque atual está garantido até segunda-feira, 28.

Conforme o administrador da casa de saúde, Jonas Kunrath, o problema tem sido registrado em outros hospitais gaúchos, e caminhões com produtos voltados às instituições estão sendo escoltados. “O fornecedor tem relatado problemas para entregar o produto, porém, com a escolta nossa expectativa é de garantir a entrega do produto até o fim da semana.”

Além disso, o HSSM organizou o seu estoque de medicamentos principais para garantir a continuidade dos atendimentos ao longo do fim de semana. Os produtos perecíveis também estão sendo monitorados para garantir adaptações nas refeições feitas pela casa de saúde.

NOTA OFICIAL DO HSSM:

Compartilhamos a nota oficial à imprensa, emitida pela Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes, Religiosos e Filantrópicos do Rio Grande do Sul e ressaltamos a importância do conteúdo desta, tendo em vista que diversos hospitais do estado estão passando pelas mesmas dificuldades.

No HSSM a situação ainda é de controle, entretanto, poderá ocorrer desabastecimento de gás oxigênio, gás de cozinha, assim como de gêneros alimentícios perecíveis nos próximos dias caso não ocorra acordo e as rodovias permaneçam bloqueadas.

Igualmente, os estoques de materiais e medicamentos padronizados são suficientes para alguns dias, assim como combustível para veículos. Temos uma reserva técnica para os geradores e ambulância para translado de pacientes da UPA até o hospital.

Estamos mantendo contato frequente como nossos fornecedores para minimizar possíveis desabastecimentos, tendo em vista a prioridade em atendimento à vida!

Ressaltamos que a situação ainda é de controle, entretanto, estamos trabalhando internamente na economicidade de insumos, garantindo a qualidade da assistência.

Salientamos mais do que nunca que neste momento, não apenas o HSSM, mas todos os hospitais estão em situação semelhante e devemos endossar à população que busquem atendimento hospitalar apenas em casos de urgência e emergência, de forma que estas possam ser atendidas com plenitude.

NOTA ENCAMINHADA PELA Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes:
A Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes, Religiosos e Filantrópicos do Rio Grande do Sul, representante das 269 instituições hospitalares sem fins lucrativos do Estado, informa que, devido a paralisação dos caminhoneiros realizada em todo o país, alguns serviços de saúde, especialmente eletivos, podem sofrer alterações, adiamentos ou cancelamentos.

Tendo em vista as dificuldades no abastecimento de materiais e medicamentos, gases, transporte de funcionários, entre outros, a rede de hospitais filantrópicos do Estado demonstra imensa preocupação com a possível desassistência à saúde. Algumas instituições já sofrem com a falta de materiais básicos. 

O que preocupa ainda mais a rede de Santas Casas e Hospitais filantrópicos é que o prolongamento destas mobilizações, com certeza, trará dificuldades no atendimento nas urgências, emergências e UTI’s de nossas instituições, o que representa um imenso risco para a vida de pacientes que necessitam desta assistência.
A Federação reconhece a legitimidade dos pleitos ora apresentados, porém espera que, com a maior brevidade possível, as partes cheguem a um acordo, não prejudicando ainda mais a assistência à saúde dos gaúchos.
Diretoria da Federação das Santas Casas do Rio Grande do Sul