• Hoje é: quarta-feira, novembro 21, 2018

Guarani já treina com 17 atletas

Guilherme Siebeneichler
fevereiro03/ 2018

O técnico Vanderson Pereira e o preparador físico Mariel Mees já estão trabalhando com as peças que defenderão o Guarani na disputa da Divisão de Acesso de 2018. Para a competição que inicia dia 04 de março a ideia dos comandantes rubro-negros é de contar com cerca de 25 atletas. Desde a apresentação do grupo inicial no último dia 24 muitas caras estão sendo vistas, quase que diariamente, no estádio Edmundo Feix. Isso porque a direção e a comissão técnica ainda estão formatando o grupo rubro-negro que estreia em diante do Santa Cruz.

Nestas duas primeiras semanas de trabalhos no clube, a comissão tem focado nas atividades físicas, com avaliações aeróbicas e anaeróbicas, para medir os níveis de força e fadiga; e antropométricas. Neste sábado, o grupo treina em dois turnos, realizando trabalhos técnicos/táticos. Neste domingo, 04, os atletas têm treinamento pela parte da manhã, cujo o foco será na parte física. Para a próxima semana, o técnico Vanderson Pereira deve intensificar os trabalhos técnicos, para então, na quarta semana, iniciar os trabalhos táticos.

A semana foi fechada com 17 jogadores. Além destes, outros oito estão no clube sob avaliação da comissão técnica e terão suas situações definidas na próxima semana. Para os próximos dias desembarcam no Edmundo Feix mais dois zagueiros e um centroavante. Além destes, o lateral-esquerdo Badé, que estava atuando no Qatar e já deve vir com ritmo de jogo.

Entre os destaques do time estão Léo Dutra, meia que atuou na Copinha SP deste ano e marcou gol em cima do campeão Flamengo, e o experiente centroavante Alagoano, de 33 anos, que teve passagens pelos clubes gaúchos Marau, Tupi, Santa Cruz e São Paulo. O intuito do grupo diretivo é fechar o elenco em 27 atletas, sendo este um grupo de características jovem e econômico.

De acordo com o técnico Vanderson Pereira, com os atletas no clube é necessário empenho de todos para chegar na estreia fortes e organizados. “O ideal é ter cerca de 60 dias para uma preparação. Alguns já estão em um bom nível de condicionamento físico, também estamos tendo o cuidado nas contratações para não trazer jogadores parados há muito tempo.”

Fora das quatro linhas a direção segue na busca por apoiadores e sócios. “Sabemos que não é fácil. Mas acreditamos que no fim de tudo vamos executar um bom trabalho”, ressalta Pereira. Segundo ele, todo o início de reestruturação exige ainda mais comprometimento de todos. “Partimos de um orçamento que a diretoria nos passou e não podemos fugir disso, até para que lá no fim da competição estejamos com as contas em dia e o clube possa se programar para o segundo semestre.” A grande maioria dos atletas vem sem gerar custos ao clube, na forma de parcerias com outras agremiações, assim como por conta dos próprios empresários.