• Hoje é: sábado, outubro 19, 2019

Greve de professores pode ficar sem adesões em Venâncio Aires

Janine Niedermeyer
dezembro10/ 2016

Os professores estaduais gaúchos decidiram, em assembleia geral realizada na quinta-feira, 8, que entrarão em greve a partir do dia 13 de dezembro, próxima terça-feira, e devem seguir paralisados até a votação do pacote de gastos apresentado pelo governador José Ivo Sartori.

A assembleia dos professores, convocada pelo Cpers-Sindicato, foi realizada em frente ao Palácio Piratini. Entre as ações de mobilização aprovadas está a ocupação massiva da Praça da Matriz, em Porto Alegre, a partir do dia 19 de dezembro e a realização de fortes atos nas regiões dos 42 Núcleos do CPERS, cobrando o pagamento do 13º salário e a reprovação do pacote.

“Agora, a missão de cada um de nós é conversar com nossos colegas para fazermos uma grande mobilização a partir do dia 13”, conclamou a presidente do Cpers, Helenir Aguiar Schürer.

AULAS SEGUEM
Apesar das expectativas por paralisações em peso, em Venâncio Aires escolas com grande fluxo de alunos informaram que não devem fazer a adesão a greve, a partir do dia 13. As direções informarem que algo mais em defi nitivo sairá na segunda-feira, 12, após consulta a todos os docentes, mas acreditam que a adesão não deve ocorrer, como nos casos da Cônego Albino Juchem, Monte das Tabocas, Zilda de Brito Pereira, Wolfram Metzler e 11 de Maio.

TÉRMINO PREVISTO DAS AULAS:
CAJ e Monte das Tabocas (Centro) – Dia 16/12 (sexta-feira);
11 de Maio (Coronel Brito) – 23/12 (sexta-feira);
Zilda de Brito Pereira (Gressler) -Dia 16/12 (sexta-feira).

Foto: Divulgação/ Cpers/Sindicato