• Hoje é: segunda-feira, setembro 25, 2017

Gestão do lixo pauta debate na Câmara de Vereadores

Guilherme Siebeneichler
junho07/ 2017

Com gastos anuais que alcançam os R$ 5,5 milhões para garantir o recolhimento e depósito dos resíduos sólidos gerados no município, a Prefeitura de Venâncio Aires espera garantir redução de até 20% destas despesas em um ano. Pelo menos, esta é a estimativa do secretário municipal do Meio Ambiente, Clóvis Schwertner, que participou da sessão da Câmara de Vereadores nesta segunda-feira, 05 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente. Apesar do tema ser fundamental para a gestão municipal, assuntos paralelos, incluindo saída de férias do secretário resultaram em bate-boca no Parlamento Municipal.

Durante sua participação, ele apresentou ações que já estão sendo desenvolvidas para diminuir a carga de despesas públicas com o recolhimento de lixo. Entre elas está a diminuição da coleta mecanizada, criação de composteiras domésticas e revisão do contrato de licitação do serviço. Atualmente em média são desembolsados R$ 450 mil por mês com o recolhimento de lixo. Deste total, 70% é referente a coleta dos resíduos domésticos. Outros 15% são para depósito em aterros, 10% para o transporte até Minas do Leão e outros 5% na manutenção da Usina de Triagem, de Linha Estrela.

“O que nos sangra todos os meses é o gasto de R$ 276 mil para a coleta do lixo doméstico na cidade. Isso precisa ser reduzido e vamos comprar essa briga. Queremos insistir e reduzir este valor e garantir economia aos cofres públicos,” ressalta Schwertner. O contrato atual para o recolhimento de lixo vigora até 25 de outubro e modificações já estão em discussão. Uma das iniciativas busca diminuir os custos levando em consideração o quilômetro rodado, não mais o peso das cargas.

Neste sentido, o vereador Eduardo Kappel (PP), cobrou ações do governo e criticou o contrato anterior, insinuando má-fé. “Isso só pode ter sido feito para favorecer algo.” DISCUSSÃO Nas explicações, Kappel pediu ao secretário que fale sobre a situação da sua saída para viagem ainda no mês de janeiro. O questionamento foi realizado no mês de fevereiro por Tiago Quintana (PDT) mas sem citar nomes. “Viajei sim, mas encaminhei um ofício ao prefeito para que desconte das minhas férias o valor ou posso fazer o estorno,” reconheceu Clóvis.

Quintana questionou o secretário sobre o tema, mas afirmou que não faria exposição do caso. “Pedi informações ao Executivo sobre essa situação, mas não falei no seu nome. Quero só que seja bem esclarecido.”

Ao finalizar sua participação, o secretário afirmou que os vereadores precisam ajudar em soluções para a economia de despesas. Além disso, destacou que a coleta de lixo avançou em alguns pontos e que será preciso ajustes para melhorar o sistema em todo o município.