“Fiz algo que qualquer agente público deveria fazer”, afirma Tata

Janine Niedermeyer
junho27/ 2017

A vereadora Tata Haussen Oliveira (Rede Sustentabilidade) fez uso da tribuna da Câmara de Vereadores na sessão desta segunda-feira, 26, para reforçar que apenas exerceu sua função de fiscalizadora da aplicação dos recursos públicos ao apresentar, na sessão anterior, indícios de desvio de finalidade na aplicação de verbas da assistência social em Venâncio Aires. “Fiz algo que qualquer agente público deveria fazer ao tomar conhecimento de indícios de irregularidade”, argumentou.

Direcionada à vereadora Ana Cláudia (PDT), que não reagiu bem à apresentação dos indícios, Tata explicou que os trouxe à tona com o objetivo de obter esclarecimentos, com responsabilidade e sem se dirigir a nenhum vereador ou vereadora com o objetivo de causar constrangimento.

Na sessão anterior, a pedetista havia considerado os indícios como “assunto pequeno”, além de se dizer triste por uma suposta mudança de comportamento de Tata com o objetivo de se manter na Câmara de Vereadores.

“Reforço que mantenho minha mesma postura de atuação, atendo-me aos fatos, e não a insinuações, e espero, sinceramente, que não pessoalizemos essa situação e mantenhamos o respeito uma pela outra”.

Tata também citou que a reação da vereadora Ana se distinguiu daquela adotada na ocasião em que o vereador Tiago Quintana (PDT) comunicou a existência de uma suposta fraude no estacionamento rotativo, quando esta se disse chocada e foi a primeira a propor a criação de uma CPI, que tem o apoio de todos os vereadores ditos de situação.

Na sessão anterior, Ana também respondeu aos indícios de irregularidades com insinuações sobre a existência de casos de nepotismo no atual governo com a participação de vereadores. Desconhecedora da situação, Tata pediu que Ana que não se omita de buscar esclarecimentos.

Para elucidar os indícios de desvio de finalidade na aplicação de recursos da assistência social, uma vez que os dados contidos no Portal da Transparência não condizem com a realidade, a vereadora Tata vai reunir as informações que detém e encaminhar, ainda nesta semana, requerimento ao Ministério Público para que se apurem as possíveis irregularidades.

ENTENDA

Após confirmar a existência de indícios, a vereadora Tata fez uso da sessão do último dia 19 para apresentar fatos que apontam para um desvio de finalidade na aplicação de recursos da assistência social, entre os anos de 2014 e 2016, com destaque para a existência de gastos no Portal da Transparência visando melhorias no prédio da antiga Escola Maria Quitéria, em Linha Cipó, utilizada nos últimos anos como sede do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil, o Peti. No entanto, visita ao local deixa claro que as melhorias não foram realizadas.

A vereadora da Rede também questionou a compra de uma cafeteira de R$ 4.580 com recursos do Sistema Único de Assistência Social, o Suas, para ficar disponível junto ao Centro de Referência de Assistência Social, o Cras do bairro Battisti, mas que se encontrava junto ao gabinete do prefeito.

Além disso, no Portal da Transparência, constam 15 empenhos referentes aos anos de 2014 a 2016 e que totalizam o uso de mais de R$ 5 mil de recursos destinados à gestão de programas sociais para a manutenção e reposição de produtos para a máquina de café.

Fonte: Alan Faleiro/ Assessor Parlamentar Gabinete da Vereadora Tata