Exportações de 2019 melhoram e Venâncio se destaca nos negócios internacionais

Olá Jornal
fevereiro12/ 2020

O resultado das exportações de 2019 foram positivas para Venâncio Aires, que teve crescimento nos negócios. O aumento se deve ao tabaco em estoque de 2018, que foi comercializado ao longo do ano passado. No período as empresas instaladas em território venâncio-airense comercializaram US$ 692,96 milhões. O valor colocou a cidade na oitava colocação entre os municípios gaúchos que exportaram no ano, a frente de Caxias do Sul, importante polo industrial do Rio Grande do Sul.

Os negócios internacionais de Venâncio representam 3,9% na participação das exportações do Estado e coloca o município na 70ª colocação no ranking nacional. No total, são 33 empresas exportadores e outras 23 companhias que realizaram importações. As exportações de Venâncio Aires ao longo de 2019 tiveram crescimento de 17,3% se comparado a 2018, quando foram negociados US$ 590,9 milhões.

O acompanhamento das estatísticas de Comércio Exterior é realizado pelo Ministério da Economia. O Rio Grande do Sul registrou queda de 12,5% nas exportações, quando comparado a 2018.

TABACO
O principal produto exportado segue sendo o tabaco e seus produtos, representando 94% do total negociado. A China é o principal destino do comércio exterior venâncio-airese, representando 38% dos envios locais. A produção de Venâncio Aires foi comercializada com mais de 70 países ao longo do ano passado.

No ano foram US$ 644,94 milhões enviados ao mercado exterior. As exportações de tabaco no município registraram crescimento de 18,2%. O aumento ocorre porque as exportações de vendas do ano anterior foram efetuadas ao longo de 2019, o atraso nos embarque garantiu a elevação nos negócios venâncio-airenses.

NEGÓCIOS GLOBAIS 
O percentual de crescimento nas vendas de tabaco também foi verificado em âmbito geral dos negócios da indústria fumageira. Conforme dados do Ministério da Economia, as vendas externas de tabaco em folha aumentaram quase 20% em volume, na comparação com o ano precedente. Na prática, isso representa em torno de 86,6 mil toneladas embarcadas a mais. Já em valor, o aumento foi de 7,87% – cerca de US$ 149,1 milhões. A diferença se deve a uma queda de quase 10% no preço médio. Com isso, a participação do tabaco na receita total obtida pelo País com as exportações de produtos básicos passou de 1,59% para 1,73% – foi o 11º produto mais exportado nessa categoria, que não inclui os manufaturados e semimanufaturados.

CHINA EM DESTAQUE
As exportações de tabaco para a China, principal destino do produto venâncio-airense, triplicaram em 2019. O volume exportado entre janeiro a novembro foi de US$ 253,01 milhões contra US$ 84,5 milhões no mesmo período em 2018.

O montante coloca o gigante asiático como destino de 38% das exportações do município, que chegaram a US$ 644,94 milhões no ano passado. Em 2018, a China era o destino de 17% dos produtos em um total de US$ 504,95 milhões.

JANEIRO
O mês de janeiro já demonstra uma desaceleração nas vendas internacionais, voltando aos patamares de anos anteriores. Venâncio Aires fechou o primeiro mês de 2020 com US$ 20,9 milhões comercializados, uma redução de 70,8%, quando comparado a igual período de 2019. A expectativa é de redução nos negócios internacionais ao longo do ano, puxados pela diminuição das exportações de tabaco.

No mês, as exportações do produto representaram 86% dos negócios, sendo os principais destinos a Indonésia (16%) e a Coréia do Sul (13%). Na sequência aparecem o Paraguai (14%) e os Estados Unidos (14%).