• Hoje é: quinta-feira, setembro 19, 2019

Experiências da África é tema para papo de pauta

Olá Jornal
agosto21/ 2019

As impressões do diretor de assuntos coorporativos e de comunicação da Japan Tobaco Internacional (JTI), Flávio Goulart, foram compartilhadas durante mais uma edição do Papo de Pauta. O evento promovido pela Four Comunicação na última terça-feira, 13, tem como objetivo estreitar o relacionamento entre fontes e jornalistas.
Goulart compartilhou suas experiências durante viagem à África do Sul e Uganda ocorrida no ano passado quando participou de uma conferência da Organização Mundial do Trabalho (OIT) sobre o déficit de trabalho decente na cadeia produtiva do tabaco. “O combate ao trabalho infantil é difícil por não ter escola. Após a assinatura do pacto notamos efeito quando numa pesquisa mostrou que o índice estava acima da média nacional, nas regiões onde havia projeto”.

Durante o evento ele apresentou os programas Práticas de Trabalho na Agricultura (ALP, na sigla em inglês) e Alcançando a Redução do Trabalho Infantil pelo Suporte à Educação (Arise) e participou de visita à uma propriedade produtora de tabaco. “O objetivo era ir mais perto, ver como a parceria ocorria. Falaram muito bem da indústria e dos ganhos do tabaco”, conta. A família produtora de tabaco possui os dois filhos na universidade e casa própria de alvenaria, algo incomum para o local.

ARISE
Paralelo a conferência, a JTI realizou uma reunião de lideranças sobre as boas práticas do Arise 3.0 onde também ocorreu treinamento da equipe com o italiano Ernesto Sirolli, considerado autoridade notável no campo do desenvolvimento econômico sustentável. É fundador do Instituto Sirolli, uma organização internacional sem fins lucrativos que ensina aos líderes comunitários como estabelecer e manter projetos de facilitação empresarial em sua comunidade. “Ele tem uma frase que é muito interessante: se você quer ajudar uma comunidade, se cale e escute. Então tivemos um bom treinamento sobre a importância do empreendedorismo para o desenvolvimento local sustentável, fortalecendo as iniciativas locais, combatendo as falhas e vislumbrando o mercado”, conclui Goulart.