Entidades discutem custo de produção com fumageiras

Olá Jornal
janeiro13/ 2021

O custo de produção da atual safra de tabaco está em discussão entre Afubra e empresas do setor. Os encontros iniciaram nesta terça-feira, 12, em Santa Cruz do Sul, e seguem nesta quarta-feira, 13, em Venâncio Aires.
Na Capital do Chimarrão, estão agendadas reuniões às 8h30min na CTA Continental Tobaccos Alliance e às 10h na China Brasil Tabacos. A primeira rodada ocorreu com Philip Morris, Souza Cruz e Universal Leaf Tabacos. Já os encontros com JTI e Alliance One ocorrerão na segunda-feira, 18, por incompatibilidade de agendas.

Este primeiro contato tem como objetivo alinhar os custos de produção de produtores e indústrias apresentados ainda em dezembro do ano passado. A diferença nos valores ficou entre 2% a 4% e, por isso, ambos apresentarão metodologias e parâmetros utilizados em cada levantamento.

De acordo com o segundo secretário da Afubra, Adriano da Cunha, o momento é de entender a forma de cálculo de cada um. “Queremos aproximar os números, entender as metodologias utilizadas para estabelecer o custo, uma vez que o preço pode depender desse alinhamento”, avalia. Passado esse momento, a expectativa é de iniciar as rodadas de negociação do preço até o fim do mês.

HISTÓRICO
As negociações de preço do tabaco na safra passada encerram sem acordo. As empresas apresentaram valor inferior ao custo de produção por elas levantado, variando de 2,1% a 2,85% os reajustes propostos. Uma não apresentou nem o custo e nem proposta de negociação.

A Comissão de Representação dos Produtores de Tabaco busca desde então padronizar a metodologia do custo de produção e unificar o levantamento dos dados para serem seguidos pelas empresas e pela representação dos produtores. A comissão é formada pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), Federações dos Sindicatos Rurais (Farsul, Faesc e Faep) e Federações dos Trabalhadores Rurais (Fetag, Fetaesc e Fetaep).

Olá Jornal
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com