• Hoje é: segunda-feira, setembro 23, 2019

Eleições chegam ao fim e desafio do próximo gestor será grande

Janine Niedermeyer
outubro01/ 2016

A situação econômica do país não irá favorecer o próximo gestor municipal. Sem dinheiro para grandes investimentos, a melhoria na máquina pública e enxugamento de despesas será prioridade. Para conseguir colocar em prática projetos e os planos de governo, os candidatos prometem auditorias, análise da situação financeira e corte de gastos.

Dificuldades vão além disso, com os governos estadual e federal desestruturados, o envio de verbas tem sido feito com dificuldades e atrasos. O eleitor se prepara para definir, na urna, o melhor projeto para o município. Em cerca de 40 dias os candidatos difundiram propostas e projetos para Venâncio Aires.

O período, que apesar de mais rápido, foi marcado por brigas, pesquisas eleitorais não confi áveis e troca de acusações. Tudo aquilo que o eleitor estava querendo não ver no pleito deste ano. Mas quais serão as prioridades elencadas pelo próximo prefeito? O projeto que ganhará atenção especial para sair do papel, nos primeiros dias do novo governo em 2017? Subprefeituras, centro de especialidades médicas, turno integral, uniformes na rede pública de ensino, mutirões para reforma de estradas e maior contato com a população pautaram os debates.

Conheça o que cada candidato pretende fazer, tão logo assuma o governo municipal. Talvez, ajude você leitor a definir ainda mais o seu voto.

CESAR SCHUMACHER
O candidato do PT afirma que a prioridade do seu governo, se eleito, será de garantir o funcionamento dos serviços já ofertados, bem como, o pagamento do funcionalismo. “O cenário atual não é favorável aos próximos gestores. Vamos continuar em um momento delicado da economica brasileira”.

Neste sentido, Schumacher explica que não trabalhou a campanha com projetos que possam gerar novos gastos. Para ele é preciso avaliar a situação financeira da cidade e manter a articulação política na busca
por novos recursos.

GIOVANE WICKERT
A redução de custos do poder público é apontada como prioridade do candidato do PSB. Para ele, os primeiros dias de governo, se eleito, serão de redução de cargos, secretarias e melhor gestão pública.

“Vamos usar auditorias externas para avaliar os gastos, já que será preciso ampliar serviços sem aumentar o orçamento”. Wickert quer priorizar ainda as reformas de estradas no interior e intensificar nos primeiros meses os mutirões de reparos na cidade.

JARBAS DA ROSA
O candidato que pretende continuar o projeto de governo atual quer garantir as melhorias da administração municipal com o fortalecimento do desenvolvimento econômico. Para ele, parte desta proposta passa pela criação de subprefeituras.

“Será um projeto que dedicaremos atenção total. No mínimo duas subprefeituras no primeiro ano de governo”. Jarbas espera também aprimorar os serviços na área da saúde e educação a partir de análise da situação econômica do Município.

VINÍCIUS MEDEIROS
A avaliação da máquina pública também é uma das prioridades do candidato do PSDB. Para ele, será preciso garantir estudo da capacidade de endividamento do município, assim como, realizar o corte de gastos com cargos em comissão.

“Queremos também trabalhar medidas para atrair novas empresas e melhorar o processo pedagógico da rede municipal de ensino.” O projeto ‘Prefeitura na Rua’ é um ação que terá atenção especial para ouvir a comunidade.