• Hoje é: quinta-feira, agosto 22, 2019

Diretor da Philip Morris defende incentivos a diversificação

Olá Jornal
abril13/ 2019

A diversificação nas propriedades rurais é considerada peça chave para a agricultura familiar, segundo o diretor de Tabaco para as Américas da Philip Morris Brasil (PMB), Pedro Braga. Seu posicionamento foi reforçado durante passagem pela Expoagro Afubra quando deixou ainda mais claro a mensagem da empresa, considerada uma das maiores companhias de tabaco do mundo.

Braga destacou a necessidade dos fumicultores pensarem suas propriedades para além do tabaco como forma de gerar mais renda. “Não apostem em monocultura, é perigoso para quem produz. Depender só de uma cultura, com os impactos que temos hoje em dia, é muito perigoso. Complementem com outras culturas para diminuir o risco do investimento que fazem não só monetário mas também de tempo, evitem surpresas”, orienta.

EXEMPLO
A declaração de Braga ocorreu durante renovação do contrato de parceria técnica especializada com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa/Clima Temperado), para a continuidade do Projeto Quintais Orgânicos de Frutas, projeto este considerado pela companhia como exemplo de diversificação. O trabalho desenvolvido com produtores de tabaco da Philip Morris visa incentivar a produção de frutas na propriedade rural.

Para agregar valor aos produtos comercializados pelos produtores, os técnicos também fornecem orientação sobre as diversas formas de processamento, de acordo com as espécies cultivadas, como geleias, doces, sucos e outros, para aumentar a renda familiar. “Tivemos um produtor que com o rendimento de 5 toneladas de amora obteve R$ 15 mil a mais por ano. Isso equivale quase a um salário mínimo a mais por mês. Estamos melhorando a vida do produtor, as condições de vida dele. São investimentos que ele pode fazer na educação dos filhos dele, aumentar nosso impacto com mais produtores”, avalia Braga.

Para o diretor da multinacional, o caminho para a agricultura familiar de sucesso passa também por investimentos federais a partir de um novo olhar para este segmento. “A agricultura familiar é tão importante como a cooperativa ou industrial. O Brasil tem que equilibrar os investimentos pois investir na agricultura familiar é muito importante para um país em questões de rendimentos à família e emprego”.