Desafio agora é apresentar cadeia do tabaco ao ministro da Saúde

Guilherme Siebeneichler
julho23/ 2016

Após passagem pela região do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, os representantes da cadeia produtiva do tabaco querem se reunir com o ministro da Saúde, Ricardo Barros. A proposta é de apresentar o setor ao chefe da pasta em Brasília, e ainda, efetivar uma vinda para conhecer o processo. A agenda está em tratativas e busca aproveitar o apoio destacado pela visita oficial desta semana.

“O ministro da saúde também precisa conhecer este processo, tirar o seus preconceitos, ver cada local que passamos. Irei fazer um relato de tudo que vi nesta região e me coloco ao lado destes produtores,” afirmou Maggi. O prefeito Airton Artus, que também é o presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Ta- baco foi convidado para apresentar o segmento econômico.

As conversações iniciaram já na última quarta-feira durante visita oficial de Maggi na propriedade rural da família Klafke, em Venâncio Aires, e nas unidades da Souza Cruz e Philip Morris, em Santa Cruz do Sul. Ainda não há data para ocorrer o encontro entre os representantes do setor e Barros. Entretanto, a proposta é de mostrar a realidade do produtor de tabaco, até a exportação do produto, em ato preparativo para a 7a Conferência das Partes (COP7) da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CQCT).

AGRICULTURA

“Deixem os produtores trabalhar”. Esta foi a frase dita pelo produtor de tabaco Sanges Klafke, que recebeu Maggi e a comitiva estadual para conhecer o processo de produção do tabaco. Acompanhado do vice-governador do Rio Grande do Sul, José Paulo Cairoli, e do secretário estadual de Agricultura do RS, Ernani Polo, além de outras lideranças políticas, empresariais, sindicais e comunitárias, o ministro reconheceu o papel estratégico da cadeia produtiva do tabaco, e disse que irá defender a produção. “Não estamos defendendo nada ilegal. Produzir fumo é absolutamente legal. Fumar ou não fumar, é decisão de cada um”, afirma.