• Hoje é: quarta-feira, setembro 18, 2019

Criado o cadastro ervateiro do Rio Grande do Sul

Janine Niedermeyer
maio24/ 2016

A partir desta segunda-feira, 23, a erva-mate, um dos símbolos característicos do Estado, passa a ter uma nova história. No final da tarde, o governador José Ivo Sartori e o secretário da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo, assinaram a portaria instituindo o cadastro ervateiro do Rio Grande do Sul. Agora, a cultura da erva-mate terá acompanhamento de plantio, qualificação da produção e industrialização.

Ao receber prefeitos e dezenas de representantes do setor dos municípios produtores, o governador lembrou que o consumo da erva-mate é uma tradição que se confunde com a vida do Rio Grande do Sul. “Todos sabemos da importância da erva-mate para o estado, seja pelo consumo, como também pela produção, em que a maior parte do plantio é feita por pequenos agricultores”, observou o chefe do Executivo gaúcho, “e constitui uma fonte de renda permanente”, acrescentou.

Sartori elogiou a iniciativa dos produtores que, através do Instituto Brasileiro da Erva-mate (Ibramate), com auxílio de técnicos da Secretaria da Agricultura e da Universidade Federal de Santa Maria, conseguiram obter a ferramenta que, integrado ao Google Maps, Google Earth e Bing Maps, possibilitará a obtenção de dados sobre o plantio da erva-mate no Estado, assim como tornará possível o planejamento de gestão e capacitação da cultura, a melhoria e crescimento da produção.

Sistema GeoMate/RS

Com a ferramenta – Sistema GeoMate/RS –, será possível a elaboração do cadastro ervateiro, pois o dispositivo permitirá o levantamento de todas as propriedades em que é plantada a erva-mate, assim como o número de viveiros, conforme o técnico da Secretaria da Agricultura, Tiago Antonio Fick, além do acompanhamento de vários outros fatores que envolvem a cultura.

Hoje a estimativa é de que cerca de 13 mil propriedades cultivam a erva-mate no estado, assim como aproximadamente 200 produtores de mudas. O Rio Grande do Sul exporta a erva-mate para cerca de 30 países, a começar pelo vizinho Uruguai.

Farinha, cervejas e cosméticos

Durante a reunião com o governador, os produtores lembraram que a erva-mate não se resume somente ao chimarrão, mas a produção de farinha, com qual se faz pães e massas, cervejas, energéticos, cosméticos, dentre outros produtos, sendo uma importante fonte de proteína.

Por sua vez, o secretário da Agricultura, ao assinar a portaria, ressaltou que o Rio Grande do Sul possui a partir de agora um “importante projeto de pesquisa para uma de suas culturas mais características”. De acordo com Ernani Polo, a criação do cadastro é uma inovação, “que permitirá a potencialização do setor da erva-mate e consequentemente, seu crescimento e contribuição com a economia do estado”.

A oficialização do cadastro ervateiro atende a Lei Estadual nº14.185/2012, que criou o cadastro ervateiro estadual, prevendo a obrigatoriedade do cadastramento dos produtores e indústrias de beneficiamento da erva-mate em território gaúcho.

Texto: Margareth de Paula/Secom RS

Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini