• Hoje é: segunda-feira, novembro 12, 2018

Crematório regional de Venâncio Aires começa a receber os primeiros fornos

Olá Jornal
março13/ 2018

O crematório regional de Venâncio Aires, começou a receber os primeiros fornos. Os equipamentos são da empresa catarinense Jung e contam com tecnologia para processos térmicos. A companhia desenvolve equipamentos para a cremação de humanos, pets, animais e exumados. O primeiro deles, para humanos, foi entregue ao empreendimento no mês passado. Para março está programada a entrega do forno para pets.

Os equipamentos contam com automatização e controle digital para o todo o processo. A operação é feita por meio de tablet que permite monitoramento em tempo real, além de suporte e acompanhamento remotos. “Fizemos algumas pesquisas no mercado e o que me levou a escolher a JUNG foi justamente pela tecnologia e o isolamento térmico empregado em seus fornos”, explica o empresário José Kist, proprietário das Organização Kist.

O complexo com crematórios de Venâncio Aires passa pelos trâmites finais para entrar em funcionamento junto aos órgãos competentes. Com projeto arrojado, contará com cinco fornos para cremação – três para humanos e dois para pets – em um espaço junto ao Parque Jardim Bela Vista. A expectativa de Kist é inaugurar o empreendimento ainda neste ano.

MEIO AMBIENTE

Os fornos são concebidos para operar muito abaixo dos limites apontados na legislação do CONAMA e de segurança em sistemas de combustão (NBR 12.313). Todos os modelos de fornos foram projetados para atender plenamente os mais de 40 parâmetros ambientais, de forma segura e eficiente.

ORGANIZAÇÃO KIST

A Organização Kist foi fundada em 1986 por José Luiz Kist. Com a missão de apresentar soluções ágeis e inovadoras, respeitando os sentimentos e as necessidades das famílias, em 2000 foi criado o Cemitério Parque Jardim Bela Vista, que surgiu com a proposta de suprir a carência de locais para sepultamentos que havia no município. O espaço também foi planejado para receber a instalação do crematório regional, no qual o projeto só depende agora da liberação da Fundação Estadual de Proteção Ambiental do estado.

Os crematórios terão abrangência nos Vales do Taquari, Rio Pardo e Região Carbonífera, Centro Serra, Centro Sul e parte da Campanha.

CRÉDITO: Contraste Comunicação Inteligente