• Hoje é: domingo, julho 21, 2019

CPERS protocola pedido de impeachment do governador Sartori

Janine Niedermeyer
outubro25/ 2016

A Direção Central do CPERS entregou, nesta segunda-feira, 24, o pedido de impeachment do governador José Ivo Sartori (PMDB), por crime de responsabilidade, à presidente da Assembleia Legislativa/RS, Silvana Covatti.

A iniciativa foi aprovada pelo Conselho Geral da entidade, realizado no último dia 21. A entrega do documento foi a culminância do ato público Dia de Luta pela Educação, do qual participaram centenas de educadores, que contaram com o apoio de estudantes, sindicatos e centrais sindicais.

A mobilização teve como objetivo denunciar os ataques do governo Sartori e Temer contra a população, manifestados na Proposta de Emenda à Constituição – PEC 241/2016, a Reforma do Ensino Médio, a Lei da Mordaça e a Reforma da Previdência.

Os educadores concentraram-se às 8h30 em frente ao CPERS e de lá seguiram até o Palácio Piratini, onde diversos representantes de sindicatos, movimentos estudantis e sociais manifestaram seu repúdio as ações arbitrárias do governo Sartori. Logo após, uma comissão dirigiu-se à presidência da Assembleia Legislativa para a entrega do pedido de impeachment do governador.

“Nós temos, desde o ano passado, uma liminar que proíbe o governo de parcelar o nosso salário. Somente nesse ano, nós temos sete meses de parcelamento. No dia 5 de setembro, foi julgado o mérito da nossa liminar no pleno e, por 21 a 4, os juízes disseram que o governador não poderia parcelar. No final do mês, ele parcelou novamente”, observou Helenir.

A presidente da Assembleia garantiu que, como representante do poder Legislativo, terá cuidado, responsabilidade e celeridade no encaminhamento do pedido do impeachment.

Em posicionamento emitido, o governo gaúcho afirmou que o pedido de impeachment protocolado pelo CPERS/Sindicato faz parte de sua conhecida radicalização política. Além de ser inconsistente, não ajuda o Estado a superar a crise financeira e a melhorar a qualidade do ensino. A Assembleia Legislativa saberá dar o devido encaminhamento à questão.

Foto: Caco Argemi/CPERS/Sindicato

Fontes: CPERS e Governo RS