• Hoje é: quarta-feira, novembro 14, 2018

Corepe e Corede vão unir forças pela duplicação da RSC-287

Guilherme Siebeneichler
janeiro11/ 2017

Os dois principais grupos em prol do desenvolvimento da região, o Conselho Regional de Desenvolvimento do Vale do Rio Pardo (Corede) e o Conselho Comunitário das Regiões Pedagiadas (Corepe) querem trabalhar de forma conjunta pela duplicação da RSC-287. A obra foi incluída no planejamento estratégico regional como a prioridade máxima. Junto com a direção da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), a direção do Corepe trecho 8, desde 2015, trabalha formas de garantir o aumento de capacidade de tráfego na rodovia.

A proposta dos dois conselhos é de agendar encontro com o governo estadual para solicitar apoio ao projeto de duplicação. Conforme o presidente do Corepe, Luciano Naue, a união de forças em prol do investimento é a forma encontrada para buscar apoio a demanda. “É uma necessidade da nossa região, o próprio vice-governador já tinha confirmado que tem recursos para a obra, por isso, vamos trabalhar de forma conjunta para garantir que saia do papel.”

As direções trabalham para agendar reunião com o secretário estadual dos Transportes, Pedro Westphalen e com demais autoridades do Executivo gaúcho. A expectativa é de realizar o encontro ainda no primeiro trimestre.

INVESTIMENTO

No início de dezembro, o vice-governador José Paulo Cairoli (PSD), deu uma declaração inesperada. Contrariando tudo o que vinha sendo alegado pelo Estado nos últimos anos para justificar a demora na obra de duplicação da RSC-287, Cairoli afirmou que a EGR dispõe de recursos para executá-la. O recurso não é confirmado pela direção da estatal das rodovias.

Aliada a isso, há desencontro nos projetos para a estrada. Isso porque, o diretor-presidente da EGR, Nelson Lídio Nunes trabalham com a proposta de aumento da capacidade da 287, a partir da construção de terceiras faixas. Já representantes do governo estadual continuam falando em duplicação da rodovia, especialmente no trecho entre Venâncio e Santa Cruz.