Controladora da Alliance One entra em recuperação financeira, mas medida não atinge operações no Brasil

Olá Jornal
junho16/ 2020

A Pyxus Internacional entrou com pedido de falência na última segunda-feira, 15, buscando equilibras as contas e garantir renegociação de dívidas. A companhia é controladora da Alliance One, porém, a medida não atinge as operações da empresa nas subsidiárias. No Brasil, a Alliance One tem sua matriz a unidade de Venâncio Aires.

O plano da empresa é de garantir em 60 dias o alívio das dívidas e garantir a retomada a normalidade dos pagamentos aos fornecedores nos Estados Unidos. O plano abrange as empresas Alliance One International, LLC, Alliance One América do Norte, LLC, Alliance One Specialty Products, LLC e GSP Properties. Em comunicado ao mercado financeiro a companhia afirma que as subsidiárias ou afiliadas internacionais vão continuar com as suas operações mundiais no curso normal durante o processo, à medida que reestrutura seu balanço.

O pacote de ações busca garantir a redução de uma dívida de US$ 400 milhões. Mesmo antes do surto da Covid-19, a Pyxus já vinha anunciados ações para reestruturar operações e garantir lucratividade.  Mas o impacto da pandemia do novo Coronavírus nos fluxos comerciais globais atingiu a cadeia de suprimentos da empresa sediada em Morrisville, Carolina do Norte, que depende da folha de tabaco de mais de 300.000 agricultores em 30 países.

ALLIANCE ONE

A empresa é uma das maiores fornecedoras de tabaco em folhas do mundo. Está operando em mais de 50 fabricas no mundo e sua base de clientes inclui os maiores fabricantes de cigarros no Reino Unido, Japão, China, Estados Unidos e os principais países da Ásia.

No Brasil a empresa possui em Venâncio Aires o seu centro administrativo, unidade de compra e usina de processamento. Em Santa Catarina, possui nas cidades de Lontras, Canoinhas e Pinhalzinho, unidades de compra de tabaco e uma usina de processamento e compra na cidade de Araranguá. No Paraná, a empresa mantém uma unidade de compra e faturamento de insumos no município de Rio do Sul.

Com números de 2019, a companhia brasileira contava com 3 mil funcionários, entre horistas e mensalistas, e uma cadeia produtiva em 360 municípios. As duas usinas têm capacidade de processamento de 220 mil toneladas por ano.