• Hoje é: sexta-feira, abril 19, 2019

Contratações da safra começam mais cedo nas indústrias de tabaco

Olá Jornal
fevereiro06/ 2019

A safra de tabaco deste ano iniciou antes nas fábricas de Venâncio Aires, comparado ao ano passado. As vagas de safristas estão sendo preenchidas desde janeiro e já somam cerca de 200 pessoas empregadas. Em 2018 este movimento ocorreu mais intensamente a partir do mês de março, o que levou a um período maior de safra. O administrador do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Fumo, Alimentação e Afins de Venâncio Aires, Ricardo Sehn, explica que diversos fatores podem influenciar nas contratações e acredita que, no ano passado, a crise mundial e o dólar alto foram os principais motivos que levaram as empresas a começar a movimentação mais tarde.

No entanto, a contratação adiantada não representa mais vagas ou uma safra mais longa. “O nível de empregabilidade deve ser mantido, não há expectativa de aumentar o número de contratações, elas apenas começaram mais cedo”, prevê.

Já o tempo de contrato desses trabalhadores, que define o tempo da safra, dependerá da comercialização das empresas que vendem a produção para clientes internacionais. No ano passado, esse período durou cerca de cinco meses sendo que em setembro ainda haviam contratos ativos.

PROSPERIDADE
O presidente do sindicato, Rogério Siqueira, ressalta a importância da safra para todo o município pois o setor ainda é o que mais gera empregos. Nesses cinco meses de safra, são movimentados aproximadamente R$ 31,5 milhões somente somados os salários dos trabalhadores temporários. “Esperamos que a safra seja boa e suficiente para satisfazer aos anseios de Venâncio Aires em relação a geração de empregos e a situação financeira desses trabalhadores, que as empresas obtenham seus lucros e saibam dividi-los”.

EXPECTATIVAS
A procura por ofertas de emprego também aumenta ao longo do mês de fevereiro nos dados oficiais do Município. Segundo a agência local do FGTAS/Sine, para o setor fumageiro, a partir da segunda quinzena do mês, a busca por vagas temporárias aumentam. Para o coordenador local da unidade, Adriano Costa, atualmente as próprias indústrias estão realizando as contratações. “Inicialmente os contratos são realizados pelos departamentos de pessoal das próprias empresas. Neste período são contratados os safristas que possuem cartas de recomendação ou pré-contratos já formalizados no ano passado. Esta demanda aumenta ao longo dos próximos dias, até o mês de março,” argumenta.

Conforme o gestor da agência, no próximo mês deverão ocorrer aberturas de vagas para serem ofertadas em fumageiras. “Isso ocorre para as vagas remanescentes e que as próprias indústrias não conseguem preencher, aí são abertas também pelo Sine. Em contato com as empresas, nos informaram que o maior ritmo de contratações ocorrerá no próximo mês para a atual safra,” finaliza Costa.